AUTISMO EM GOIÂNIA

Seguidores

PALAVRAS DA FONOAUDIÓLOGA E MÃE MARILUCE

Eu não vou mudar meu filho porque é autista; eu prefiro mudar o mundo, e fazer um mundo melhor; pois é mais fácil meu filho entender o mundo, do que o mundo entender meu filho.

ESTOU SEMPRE NA BUSCA DE CONHECIMENTOS PARA AJUDAR MEU FILHO E PACIENTES. NÃO SOU ADEPTA DE NENHUM MÉTODO ESPECÍFICO, POIS PREFIRO ACREDITAR NOS SINAIS QUE CADA CRIANÇA DEMONSTRA. O MAIS IMPORTANTE É DEIXÁ-LOS SEREM CRIANÇAS, ACEITAR E AMAR O JEITO DIFERENTE DE SER DE CADA UM, POIS AFINAL; CADA CASO É UM CASO E PRECISAMOS RESPEITAR ESSAS DIFERENÇAS. COMPARAÇÃO? NÃO FAÇO NENHUMA. ISSO É SOFRIMENTO. MEU FILHO É ÚNICO, ASSIM COMO CADA PACIENTE.
SEMPRE REPASSO PARA OS PAIS - INFORMAÇÕES, ESTRATÉGIAS, ACOMODAÇÕES E PEÇO GENTILMENTE QUE "ESTUDEM" E NÃO FIQUEM SE LUDIBRIANDO COM "ESTÓRIAS" FANTASIOSAS DA INTERNET. PREFIRO VIVER O DIA APÓS DIA COM A CERTEZA DE QUE FAÇO O MELHOR PARA MEU FILHO E PACIENTES E QUE POSSO CONTAR COM OS MELHORES TERAPEUTAS - OS PAIS.

Por Mariluce Caetano Barbosa




COMO DEVO LIDAR COM MEU FILHO AUTISTA?

Comece por você, se reeduque, pois daqui pra frente seu mundo será totalmente diferente de tudo o que conheceu até agora. Se reeducar quer dizer: fale pouco, frases curtas e claras; aprenda a gostar de musicas que antes não ouviria; aprenda a ceder, sem se entregar; esqueça os preconceitos, seus ou dos outros, transcenda a coisas tão pequenas. Aprenda a ouvir sem que seja necessário palavras; aprenda a dar carinho sem esperar reciprocidade; aprenda a enxergar beleza onde ninguém vê coisa alguma; aprenda a valorizar os mínimos gestos. Aprenda a ser tradutora desse mundo tão caótico para ele, e você também terá de aprender a traduzir sentimentos, um exemplo disso: "nossa, meu filho tá tão agressivo", tradução: ele se sente frustrado e não sabe lidar com isso, ou está triste, ou apenas não sabe te dizer que ele não quer mais te ver chorando por ele.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Psicomotricidade? O que é?

Psicomotricidade? O que é?
Por: Filipa Simões

Eu, Mari Silveira, como técnica  de Reabilitação Psicomotora, curso terminado em Outubro do ano (2005), deparei-me com o que parece inevitável nos tempos que correm, o desemprego.
Porém, para além do desemprego, vi-me envolta também no desconhecimento comum referente à minha profissão, o que resulta numa dose dupla de frustração. 
“Ah então qual é o seu curso?! Reabilitação Psicomotora? Ah, é fisioterapeuta então?”
Não, não sou fisioterapeuta, nem terapeuta ocupacional, sou Psicomotricista e para me fazer ouvir, para chegar mais longe e, acima de tudo, para extinguir o desconhecimento acerca da minha profissão, reconheço aqui a oportunidade de a apresentar e difundir. 
A Psicomotricidade é então uma área que tem como objeto de estudo o homem através do seu corpo em movimento. Destaca a relação existente entre a motr
icidade, o cognitivo e a afetividade da pessoa em questão, visando a sua adaptação na sociedade em que vive. É uma disciplina abrangente na sua intervenção, pois qualquer pessoa pode usufruir dos seus benefícios, independentemente da sua idade e presença ou ausência de problemática (dificuldades de aprendizagem, atrasos no desenvolvimento, défices cognitivos, deficiências sensoriais ou motoras, multideficiência, perturbações do espectro do autismo, dificuldades de atenção, hiperatividade, problemas de foro mental, entre outras problemáticas).
O Psicomotricista dá primazia ao corpo, às suas expressões e ao movimento como veículo de intervenção. Tenta ver e perceber como o corpo exterioriza o que é interno (afetividade e cognição) e de que modo esse mesmo corpo pode agir em prol da melhoria desejada. Avalia, define um perfil psicomotor, traça objetivos e estratégias, tudo com a finalidade de melhorar a qualidade de vida do pacient
e. Pode-se então afirmar que a Psicomotricidade pode complementar a ação de outras ciências, porém define-se pelas suas particularidades específicas, traçando teorias, métodos e objetivos próprios, que outras áreas não integram.
Isto tudo para dizer que nos distinguimos de outras profissões, e que a nossa área é, sem dúvida, uma mais-valia para o bem- -estar da nossa sociedade. Apelamos assim ao governo e à sociedade em geral a oportunidade de podermos demonstrar a nossa utilidade e os benefícios inegáveis da Psicomotricidade, ambicionando a regularização da mesma, à semelhança de outros países.

Marilaine Silveira
Psicomotricista
Postar um comentário

NOSSO JORNAL

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!
PROGRAMA ESTRUTURADO, INDIVIDUALIZADO. ATENDIMENTO DOMICILIAR.

Postagens populares

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget

GOOGLE ANALÍTICO