AUTISMO EM GOIÂNIA

Seguidores

PALAVRAS DA FONOAUDIÓLOGA E MÃE MARILUCE

Eu não vou mudar meu filho porque é autista; eu prefiro mudar o mundo, e fazer um mundo melhor; pois é mais fácil meu filho entender o mundo, do que o mundo entender meu filho.

ESTOU SEMPRE NA BUSCA DE CONHECIMENTOS PARA AJUDAR MEU FILHO E PACIENTES. NÃO SOU ADEPTA DE NENHUM MÉTODO ESPECÍFICO, POIS PREFIRO ACREDITAR NOS SINAIS QUE CADA CRIANÇA DEMONSTRA. O MAIS IMPORTANTE É DEIXÁ-LOS SEREM CRIANÇAS, ACEITAR E AMAR O JEITO DIFERENTE DE SER DE CADA UM, POIS AFINAL; CADA CASO É UM CASO E PRECISAMOS RESPEITAR ESSAS DIFERENÇAS. COMPARAÇÃO? NÃO FAÇO NENHUMA. ISSO É SOFRIMENTO. MEU FILHO É ÚNICO, ASSIM COMO CADA PACIENTE.
SEMPRE REPASSO PARA OS PAIS - INFORMAÇÕES, ESTRATÉGIAS, ACOMODAÇÕES E PEÇO GENTILMENTE QUE "ESTUDEM" E NÃO FIQUEM SE LUDIBRIANDO COM "ESTÓRIAS" FANTASIOSAS DA INTERNET. PREFIRO VIVER O DIA APÓS DIA COM A CERTEZA DE QUE FAÇO O MELHOR PARA MEU FILHO E PACIENTES E QUE POSSO CONTAR COM OS MELHORES TERAPEUTAS - OS PAIS.

Por Mariluce Caetano Barbosa




COMO DEVO LIDAR COM MEU FILHO AUTISTA?

Comece por você, se reeduque, pois daqui pra frente seu mundo será totalmente diferente de tudo o que conheceu até agora. Se reeducar quer dizer: fale pouco, frases curtas e claras; aprenda a gostar de musicas que antes não ouviria; aprenda a ceder, sem se entregar; esqueça os preconceitos, seus ou dos outros, transcenda a coisas tão pequenas. Aprenda a ouvir sem que seja necessário palavras; aprenda a dar carinho sem esperar reciprocidade; aprenda a enxergar beleza onde ninguém vê coisa alguma; aprenda a valorizar os mínimos gestos. Aprenda a ser tradutora desse mundo tão caótico para ele, e você também terá de aprender a traduzir sentimentos, um exemplo disso: "nossa, meu filho tá tão agressivo", tradução: ele se sente frustrado e não sabe lidar com isso, ou está triste, ou apenas não sabe te dizer que ele não quer mais te ver chorando por ele.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais

Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (Inglês Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais , DSM ) da Associação Psiquiátrica da América ( American Psychiatric Association ) contém uma classificação de transtornos mentais e fornece descrições claras das categorias diagnósticas , de modo que os médicos e pesquisadores de ciências da saúde para diagnosticar, monitorar e troca de informações e lidar com vários transtornos mentais . A edição atual é a quarta (DSM-IV).
Apesar deste manual é quase um padrão, há sempre envolto em polêmica. A 5 ª edição não é um excepción.La DSM-V está prevista para ser publicado em Maio de 2013, no entanto, se você quiser ver o que o estado atual da revisão sobre o autismo pode consultar o site oficial que a APA tem que esta finalidade. www.dsm5.org ... eo link direto para o Transtorno do Espectro do Autismo, você pode encontrá-lo aqui e decidir se você concorda ou não.


O DSM-IV diz que para um diagnóstico de autismo é necessário encontrar as características A, B e C abaixo: 
• A. Um total de seis ou mais manifestações de (1), (2) e (3), com pelo menos dois de (1), pelo menos um de (2), e pelo menos um de (3). 
1. Prejuízo qualitativo na relação, expressa em pelo menos dois dos seguintes eventos: 
a. Comprometimento em muitos comportamentos não-verbais, como o olhar olhos, expressão facial, posturas corporais e gestos para regular a interação social. 
b. Fracasso em desenvolver relacionamentos com seus pares apropriados ao nível de desenvolvimento. 
c. Falta de busca espontânea pelo prazer compartilhado, interesses ou realizações com outras pessoas (por exemplo, observou comportamentos ou objetos show de juros). 
d. Falta de reciprocidade social ou emocional. 
2. Prejuízos qualitativos na comunicação, expressa em pelo menos um dos seguintes eventos: 
a. Atraso ou falta total de desenvolvimento da linguagem falada (não tentar compensar através de modos alternativos de comunicação tais como gestos ou mímica). 
b. Em indivíduos com fala adequada, acentuado prejuízo na capacidade de iniciar ou manter uma conversa. 
c. Emprego estereotipados ou repetitivos usar linguagem ou idiossincrático da linguagem. 
d. Falta de jogo variados espontânea faz de conta ou de imitação social apropriados ao nível de desenvolvimento. 
3. Padrões de comportamento, interesses ou atividades restritos, repetitivos e estereotipados, expressos em pelo menos um dos seguintes eventos: 
a. Preocupação excessiva com um foco de interesse (ou mais) restrito e estereotipados, anormais em intensidade ou conteúdo. 
b. Aparentemente adesão inflexível a rotinas ou rituais específicos e não funcionais. 
c. Maneirismos estereotipados e repetitivos motor (por exemplo, apertar as mãos, torcendo os dedos, movimentos complexos de todo o corpo, etc) .. 
d. Preocupação persistente com partes de objetos. 
• B. Antes de três anos, atrasos ou alterações em uma das três áreas: (1). Interação social, (2) linguagem ou da comunicação social (3) jogos 
• C. A perturbação não é melhor explicada por Transtorno de Rett ou desintegrativo da infância. 
aspectos cognitivos 
que se acreditava anteriormente que o retardo mental está freqüentemente presente em indivíduos autistas. Um dos problemas desta determinação é baseada em uma medida de quociente de inteligência (QI), que não é praticável ou de confiança em certas circunstâncias. Propõe-se também que pode haver indivíduos extremamente autista, porém, são muito inteligentes e, portanto, capaz de evitar um diagnóstico de autismo. Isso torna impossível fazer uma determinação precisa sobre as características cognitivas generalizada do fenótipo autista. 
Contudo, sabemos que as crianças sobredotadas têm características que se assemelham às do autismo, como introversão e suscetibilidade a alergias. Também tem sido documentado que as crianças autistas, em média, têm um número desproporcional de parentes próximos que são engenheiros ou científicos.2 Tudo isso acrescenta à especulação de que controversa figuras históricas como Albert Einstein e Isaac Newton, como com dados contemporâneos, como Bill Gates, pode ter síndrome de Asperger. Observações desta natureza têm sido autista Temple Grandin escritor, entre outros, a especular que um gênio em si mesmo "pode ​​ser uma anormalidade" 
Algumas pessoas sugerem que o fenótipo autista é independente do [inteligência. Ou seja, você pode encontrar qualquer nível de inteligência autista. Aqueles com inteligência abaixo do normal que tendem a ser diagnosticados.Aqueles com inteligência normal ou superior seriam aqueles notoriedade ganhando, de acordo com essa visão. 
Rimland (1978) constatou que 10% das pessoas autistas têm "talento extraordinário" em domínios específicos (em comparação com 0,5% da população em geral ). Pilvang Brown (2000) propuseram o conceito de "garoto que esconde do conhecimento" e demonstraram através de mudanças nos testes de inteligência do que crianças com autismo têm um potencial que se esconde por trás de sua comportamiento.4 argumentam que a falta promove o otimismo de que grande parte da literatura sobre o assunto pode piorar a situação dos indivíduos com autismo.Dawson (2005), um pesquisador com autismo, fez comparações entre os indivíduos cognitivas e não-autistas com autismo, descobriu que seu desempenho relativo em testes de Wechsler e RPM são inversos.5 Um estudo da Ohio State University descobriram que pessoas com autismo têm melhor desempenho em testes de memória falsa.6 Happe (2001) fez testes de irmãos e pais de crianças autistas e sugeriu que o autismo pode incluir um "estilo cognitivo" (coerência central fraca), que confere vantagens no processamento informação.7 
A neuropsicólogos clínicos estão atualmente realizando avaliações e terapias cognitivas e de investigação sobre o envolvimento do lobo frontal no autismo, levantando interessantes possibilidades terapêuticas. Portanto, o tratamento neuropsicológico é visto como necessário maior tempo possível. 
Um critério comum para a distinção entre autismo e QI baixo funcionamento de alta é mais do que 70-80 para aqueles que estão a ser dito de alta operação, e menos de 70-80 para aqueles que se dizem estar funcionando baixo. Esta abordagem tem vários problemas: 
• Assume-se que testes de QI são inadequados para medir a inteligência de uma pessoa autista, porque eles são projetados para pessoas comuns. Ou seja, esses testes assumem que há interesse, compreensão, competências linguísticas, motivação, habilidades motoras, etc. Há casos de pessoas com autismo cujo QI muda dramaticamente dentro de um período relativamente curto, o que provavelmente não faz uma mudança real no nível de inteligência. 
• A percepção de "baixo funcionamento", geralmente refere-se a ausência de fala, incapacidade de cuidar de si mesmo, falta de interação social, e assim por diante. Isso nem sempre correspondem aos critérios de QI. Há pessoas autistas que não têm voz (embora possam se comunicar por escrito) com um QI elevado. Por outro lado, autistas com um QI baixo poderia possuir a capacidade de falar. 
• As pessoas com autismo variam muito em suas habilidades. Uma pessoa pode apresentar características de "alto desempenho" e outros "baixo funcionamento". Portanto, esses rótulos são uni-dimensional e seu descritivo pobres. 
• As pessoas com autismo que são "baixo funcionamento" em qualquer área pode se desenvolver e tornar-se "alto funcionamento" na mesma área. Alguém diagnosticado com autismo pode se tornar indistinguível de alguém diagnosticado com Síndrome de Asperger. 
Outras características 
Uma característica que é comumente relatados, mas não é necessário para o diagnóstico é que de deficiências sensoriais ou hipersensibilidade sensorial. Por exemplo, uma pessoa autista pode ressentir-se um barulho de uma pessoa autista não passar despercebida. Em muitos casos o problema pode ser extremo, a ponto de levar o comportamento violento. Por outro lado, um com autismo podem ter uma alta tolerância à dor. Alguns dizem que eles não têm conhecimento de fome ou outras necessidades biológicas. 
Em vários casos (números exatos são desconhecidos) podem ter comportamento auto-agressivo, por exemplo, batendo a cabeça contra uma parede. Outros comportamentos são tipicamente descrita constantemente girando e batendo a mão. 
Outros transtornos, incluindo a síndrome de Tourette, dificuldades de aprendizagem e transtorno de déficit de atenção, muitas vezes concordo com o autismo, sem justa causa. Devido a razões desconhecidas, cerca de 20% a 30% das pessoas com autismo desenvolvem epilepsia no momento em que atingir a idade adulta. 
Alguns acreditam que o autismo autismo dá-lhes algumas vantagens. Este é o caso do Nobel de economia Vernon Smith [3], que diz que o autismo é uma "vantagem seletiva" porque lhe dá a capacidade de hiperconcentração (uma habilidade também alvo de pessoas com TDAH). 
O suponencia comum que as pessoas autistas não têm sentimentos nenhuma base na realidade. Na verdade, o autismo parecem ser bastante sensíveis em muitas maneiras. A dificuldade surge na expressão de sentimentos, que é interpretado como uma falta dela. 
pessoas autistas freqüentemente se referem a características obsessivo como "perseverança" e, em alguns casos considerados vantajosos. Alguma mudança autista a sua "perseverança" regularmente e outros têm um único "perseverança" principal para a vida. 
Causas 
As causas do autismo são desconhecidas na maioria dos casos, mas muitos pesquisadores supõem ser o resultado de algum fator ambiental que interage com uma susceptibilidade genética. 
Harris Coulter, diretor do Centro de Medicina Empírica em Washington, DC e historiador, tem uma carga inicial, alegando que muito do que faz com que o autismo na administração da primeira infância da vacina contra coqueluche de células inteiras . Em dois livros recentes (DPT: "Shot in the Dark A" por Harris Coulter e Barbara Fisher, publicado pela Harcourt Brace Jovanovich em 1985, e "Vacinação, Violência Social e Criminalidade", publicado em 1990 pela North Atlantic Books) Coulter reuniu evidências circunstanciais extremamente importante e contra a vacina contra coqueluche e pediu estudos para esclarecer a sua relação causal com os danos cerebrais induzidas autismo, encefalite e morte por apnéia (parada respiratória), vulgarmente conhecida como "morte súbita" (em Inglês, SIDS). 
Sua mensagem gerou uma explicação para o aumento da incidência de autismo em homens por seus desenvolvimento mais lento do que as raparigas, e é, portanto, mais vulneráveis ​​à idade do seu cérebro DPT de inoculação, que é normalmente realizado. 
bases neurobiológicas 
A evidência científica sugere que na maioria dos casos, o autismo é um distúrbio hereditário. Na verdade, é um dos distúrbios neurológicos mais influentes são genéticas. É como hereditárias como a personalidade ou QI. 
Os estudos de gêmeos idênticos descobriram que se um gêmeo é autista, a probabilidade de que o outro por isso é 60%, mas cerca de 92% se considerado um espectro mais amplo. Há até um estudo que encontrou uma concordância de 95,7% em gêmeos idênticos [carece de fontes]. A probabilidade no caso de gêmeos ou irmãos que não são gêmeos é de cerca de 2% a 4% para o autismo clássico e 10% a 20% para um amplo espectro. Não foram encontradas diferenças significativas entre os resultados de estudos de gêmeos e irmãos. 
Em suma, fica claro que o autismo é genético e é obtido, geralmente parte do pai e da mãe. Mas não há nenhuma evidência de que essas diferenças genéticas, mas resultam em neurologia atípica considerado um comportamento anormal, seja de origem patológica.
Postar um comentário

NOSSO JORNAL

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!
PROGRAMA ESTRUTURADO, INDIVIDUALIZADO. ATENDIMENTO DOMICILIAR.

Postagens populares

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget

GOOGLE ANALÍTICO