AUTISMO EM GOIÂNIA

Seguidores

PALAVRAS DA FONOAUDIÓLOGA E MÃE MARILUCE

Eu não vou mudar meu filho porque é autista; eu prefiro mudar o mundo, e fazer um mundo melhor; pois é mais fácil meu filho entender o mundo, do que o mundo entender meu filho.

ESTOU SEMPRE NA BUSCA DE CONHECIMENTOS PARA AJUDAR MEU FILHO E PACIENTES. NÃO SOU ADEPTA DE NENHUM MÉTODO ESPECÍFICO, POIS PREFIRO ACREDITAR NOS SINAIS QUE CADA CRIANÇA DEMONSTRA. O MAIS IMPORTANTE É DEIXÁ-LOS SEREM CRIANÇAS, ACEITAR E AMAR O JEITO DIFERENTE DE SER DE CADA UM, POIS AFINAL; CADA CASO É UM CASO E PRECISAMOS RESPEITAR ESSAS DIFERENÇAS. COMPARAÇÃO? NÃO FAÇO NENHUMA. ISSO É SOFRIMENTO. MEU FILHO É ÚNICO, ASSIM COMO CADA PACIENTE.
SEMPRE REPASSO PARA OS PAIS - INFORMAÇÕES, ESTRATÉGIAS, ACOMODAÇÕES E PEÇO GENTILMENTE QUE "ESTUDEM" E NÃO FIQUEM SE LUDIBRIANDO COM "ESTÓRIAS" FANTASIOSAS DA INTERNET. PREFIRO VIVER O DIA APÓS DIA COM A CERTEZA DE QUE FAÇO O MELHOR PARA MEU FILHO E PACIENTES E QUE POSSO CONTAR COM OS MELHORES TERAPEUTAS - OS PAIS.

Por Mariluce Caetano Barbosa




COMO DEVO LIDAR COM MEU FILHO AUTISTA?

Comece por você, se reeduque, pois daqui pra frente seu mundo será totalmente diferente de tudo o que conheceu até agora. Se reeducar quer dizer: fale pouco, frases curtas e claras; aprenda a gostar de musicas que antes não ouviria; aprenda a ceder, sem se entregar; esqueça os preconceitos, seus ou dos outros, transcenda a coisas tão pequenas. Aprenda a ouvir sem que seja necessário palavras; aprenda a dar carinho sem esperar reciprocidade; aprenda a enxergar beleza onde ninguém vê coisa alguma; aprenda a valorizar os mínimos gestos. Aprenda a ser tradutora desse mundo tão caótico para ele, e você também terá de aprender a traduzir sentimentos, um exemplo disso: "nossa, meu filho tá tão agressivo", tradução: ele se sente frustrado e não sabe lidar com isso, ou está triste, ou apenas não sabe te dizer que ele não quer mais te ver chorando por ele.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

A CAPACIDADE DE INTERAGIR E DE AMIZADE


fiore01
Ensino eficaz para desenvolver as habilidades necessárias para a interação entre os pares e cultivar amizades deve ser baseada em um programa de aprendizagem de línguas centra-se na capacidade social para assumir a perspectiva sobre a gestão de emoções e habilidades de conversação. As amizades formadas através da conversa, procurando interesses em comum com os seus pares (usando a capacidade de assumir a perspectiva), mostrando interesse nos pensamentos e experiências dos outros, e criação de experiências e memórias compartilhadas com amigos. Além disso, uma amizade não evolui, se a criança não é capaz de compreender as emoções e, gradualmente, para pagar e gerir as suas emoções de forma adequada.
Ensinar "a capacidade de fazer amigos" é muito mais complexa do que ensinar somente interações comportamentais, como a partilha, troca de turno, mostrar esportividade, jogar corretamente, etc. Embora muitas abordagens são baseadas em competências comportamentais, o foco sobre esses aspectos não leva a bons resultados no longo prazo. Também é importante o uso de atividades que desenvolvam habilidades cognitivas social, e não apenas de comportamento. Cognição social ensinar o aluno a razão subjacente para por comportamentos sociais são tão importantes entre as pessoas. Serve para estabelecer as bases para a compreensão das pessoas quando interagem estão sempre pensando que você está enfrentando. Michelle Garcia Winner, SLP, temos muitas vezes referida, é um pioneiro na compreensão e investigação em cognição social. O título de seu livro, "Pensando em você, pensando em mim", resume o conceito da cognição social, e descreve a base da interação social eo desenvolvimento de relações.
Interacção social não é um processo estático ou fragmentado. A interação social é uma dança menor, recíproco, em que, entre amigos, avalia continuamente como seu comportamento é percebido no outro e ajustar os seus passos nesse sentido. Há incontáveis ​​"regras não escritas", com a necessidade de tomar rapidamente as perspectivas dos outros e continuamente aplicar um "social filtro" diferente, dependendo do interlocutor. Alunos do espectro do autismo muitas vezes não ter desenvolvido este processo intuitivo do pensamento social que lhe permite interagir com os outros de acordo com seu próprio ritmo. Em vez disso, suas conversas e suas relações são muitas vezes superficiais ou unidirecional. As crianças "no espectro" não captar as nuances sutis de comunicação não-verbal, não têm conhecimento das regras não escritas sociais e, finalmente, são muitas vezes demasiado centrada sobre os seus interesses fortes e é difícil de gerir as suas emoções intensas, quando confrontado a imprevisibilidade das relações sociais. É por estas razões que os esforços para aumentar as suas competências sociais deve incluir todos os aspectos da pragmática: a capacidade de assumir a perspectiva consciência, e gestão de comunicação não-verbal e as emoções, o desenvolvimento da conversa com a ênfase cognição social, todos com o ensino de habilidades comportamentais para fazer amigos.
Postar um comentário

NOSSO JORNAL

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!
PROGRAMA ESTRUTURADO, INDIVIDUALIZADO. ATENDIMENTO DOMICILIAR.

Postagens populares

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget

GOOGLE ANALÍTICO