AUTISMO EM GOIÂNIA

Seguidores

PALAVRAS DA FONOAUDIÓLOGA E MÃE MARILUCE

Eu não vou mudar meu filho porque é autista; eu prefiro mudar o mundo, e fazer um mundo melhor; pois é mais fácil meu filho entender o mundo, do que o mundo entender meu filho.

ESTOU SEMPRE NA BUSCA DE CONHECIMENTOS PARA AJUDAR MEU FILHO E PACIENTES. NÃO SOU ADEPTA DE NENHUM MÉTODO ESPECÍFICO, POIS PREFIRO ACREDITAR NOS SINAIS QUE CADA CRIANÇA DEMONSTRA. O MAIS IMPORTANTE É DEIXÁ-LOS SEREM CRIANÇAS, ACEITAR E AMAR O JEITO DIFERENTE DE SER DE CADA UM, POIS AFINAL; CADA CASO É UM CASO E PRECISAMOS RESPEITAR ESSAS DIFERENÇAS. COMPARAÇÃO? NÃO FAÇO NENHUMA. ISSO É SOFRIMENTO. MEU FILHO É ÚNICO, ASSIM COMO CADA PACIENTE.
SEMPRE REPASSO PARA OS PAIS - INFORMAÇÕES, ESTRATÉGIAS, ACOMODAÇÕES E PEÇO GENTILMENTE QUE "ESTUDEM" E NÃO FIQUEM SE LUDIBRIANDO COM "ESTÓRIAS" FANTASIOSAS DA INTERNET. PREFIRO VIVER O DIA APÓS DIA COM A CERTEZA DE QUE FAÇO O MELHOR PARA MEU FILHO E PACIENTES E QUE POSSO CONTAR COM OS MELHORES TERAPEUTAS - OS PAIS.

Por Mariluce Caetano Barbosa




COMO DEVO LIDAR COM MEU FILHO AUTISTA?

Comece por você, se reeduque, pois daqui pra frente seu mundo será totalmente diferente de tudo o que conheceu até agora. Se reeducar quer dizer: fale pouco, frases curtas e claras; aprenda a gostar de musicas que antes não ouviria; aprenda a ceder, sem se entregar; esqueça os preconceitos, seus ou dos outros, transcenda a coisas tão pequenas. Aprenda a ouvir sem que seja necessário palavras; aprenda a dar carinho sem esperar reciprocidade; aprenda a enxergar beleza onde ninguém vê coisa alguma; aprenda a valorizar os mínimos gestos. Aprenda a ser tradutora desse mundo tão caótico para ele, e você também terá de aprender a traduzir sentimentos, um exemplo disso: "nossa, meu filho tá tão agressivo", tradução: ele se sente frustrado e não sabe lidar com isso, ou está triste, ou apenas não sabe te dizer que ele não quer mais te ver chorando por ele.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

The Wilbarger Protocol - Terapia da escovação





O Protocolo Wilbarger é um programa de terapia destinada a reduzir a defensiva sensorial ou tátil. As crianças que apresentam sintomas de defensividade tátil são extremamente sensíveis ao toque. Isso pode causar um medo ou resistência ao ser tocado, dificuldade de transição entre as atividades e / ou letargia. A terapia foi desenvolvida por Patricia Wilbarger, médica e terapeuta ocupacional.


Não há muita comprovação de pesquisa sobre o protocolo Wilbarger. No entanto, muitos pais de crianças com autismo têm relatado que veem diminuições na defensiva sensorial e ansiedade como resultado da utilização dessa técnica. Algumas das vantagens do protocolo Wilbarger podem incluir capacidade melhorada para a transição entre as atividades diárias, atenção melhora, diminuiu o medo ou desconforto de ser tocado, uma melhora da coordenação e auto-regulação.


A rotina completa de escovação geralmente leva apenas 2-3 minutos. O primeiro passo do tratamento envolve o uso de uma escova de plásico macia que é passada como uma escovação sobre a pele da criança, utilizando uma pressão muito firme, é como uma massagem de pressão profunda. Escovação começa nos braços, mãos, costas, pernas e pés. As áreas do rosto, peito e estômago nunca são escovadas, porque estas são áreas sensíveis que podem causar reações adversas.

A terapia da escovação é recomendada inicialmente a cada 2 horas, enquanto a criança está acordada. Os terapeutas normalmente re-avaliam o nível de escovação após duas semanas. Com base nessa observação o intervalo das escovações pode ser modificado. A escovação continua, enquanto há benefícios para a pessoa. É comum que se atinja momentos de plateu, então a escovação pode ser suspensa e retornar ou não posteriormente, conforme avaliação de observação.


Após a terapia de escovação, os terapeutas podem também prescrever dez suaves compressões nas juntas dos ombros, cotovelos, punhos, dedos, quadris, joelhos, tornozelos e esterno. Outra maneira de se obter a compressão nas juntas é fazer pole-chinelo, flexões de braços ou pular numa cama elástica.


Finalmente, o terapeuta pode também sugerir uma Técnica Táctil Oral. Esta técnica consiste em uma estimulação dentro da boca com o dedo percorrendo o interior da boca da pessoa. Isso é útil para crianças com defesa oral. (Estas crianças podem ter problemas com os alimentos por causa de sua textura ou recusam ter seus dentes escovados.)
Se você acha que seu filho iria beneficiar-se do Protocolo Wilbarger, é importante procurar a orientação de um terapeuta ocupacional. O TO deve ter conhecimentos de integração sensorial e saber como usar o protocolo Wilbarger. Se o tratamento for realizado de forma incorreta não será eficaz e pode ser e pode ser muito desconfortável para o indivíduo.
Postar um comentário

NOSSO JORNAL

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!
PROGRAMA ESTRUTURADO, INDIVIDUALIZADO. ATENDIMENTO DOMICILIAR.

Postagens populares

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget

GOOGLE ANALÍTICO