AUTISMO EM GOIÂNIA

Seguidores

PALAVRAS DA FONOAUDIÓLOGA E MÃE MARILUCE

Eu não vou mudar meu filho porque é autista; eu prefiro mudar o mundo, e fazer um mundo melhor; pois é mais fácil meu filho entender o mundo, do que o mundo entender meu filho.

ESTOU SEMPRE NA BUSCA DE CONHECIMENTOS PARA AJUDAR MEU FILHO E PACIENTES. NÃO SOU ADEPTA DE NENHUM MÉTODO ESPECÍFICO, POIS PREFIRO ACREDITAR NOS SINAIS QUE CADA CRIANÇA DEMONSTRA. O MAIS IMPORTANTE É DEIXÁ-LOS SEREM CRIANÇAS, ACEITAR E AMAR O JEITO DIFERENTE DE SER DE CADA UM, POIS AFINAL; CADA CASO É UM CASO E PRECISAMOS RESPEITAR ESSAS DIFERENÇAS. COMPARAÇÃO? NÃO FAÇO NENHUMA. ISSO É SOFRIMENTO. MEU FILHO É ÚNICO, ASSIM COMO CADA PACIENTE.
SEMPRE REPASSO PARA OS PAIS - INFORMAÇÕES, ESTRATÉGIAS, ACOMODAÇÕES E PEÇO GENTILMENTE QUE "ESTUDEM" E NÃO FIQUEM SE LUDIBRIANDO COM "ESTÓRIAS" FANTASIOSAS DA INTERNET. PREFIRO VIVER O DIA APÓS DIA COM A CERTEZA DE QUE FAÇO O MELHOR PARA MEU FILHO E PACIENTES E QUE POSSO CONTAR COM OS MELHORES TERAPEUTAS - OS PAIS.

Por Mariluce Caetano Barbosa




COMO DEVO LIDAR COM MEU FILHO AUTISTA?

Comece por você, se reeduque, pois daqui pra frente seu mundo será totalmente diferente de tudo o que conheceu até agora. Se reeducar quer dizer: fale pouco, frases curtas e claras; aprenda a gostar de musicas que antes não ouviria; aprenda a ceder, sem se entregar; esqueça os preconceitos, seus ou dos outros, transcenda a coisas tão pequenas. Aprenda a ouvir sem que seja necessário palavras; aprenda a dar carinho sem esperar reciprocidade; aprenda a enxergar beleza onde ninguém vê coisa alguma; aprenda a valorizar os mínimos gestos. Aprenda a ser tradutora desse mundo tão caótico para ele, e você também terá de aprender a traduzir sentimentos, um exemplo disso: "nossa, meu filho tá tão agressivo", tradução: ele se sente frustrado e não sabe lidar com isso, ou está triste, ou apenas não sabe te dizer que ele não quer mais te ver chorando por ele.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

GcMAF-A forma de vitamina D proteína de ligação que direciona seus macrófagos para atacar as células do câncer é chamado GcMAF

GcMAF

Os macrófagos são uma parte vital de seu sistema imunológico. Eles têm a capacidade para identificar as células cancerosas, livrar o corpo de desgastadas e células desempenham um papel crucial em iniciar uma resposta imune. Enquanto isso, a vitamina D proteína de ligação é importante na ativação desses macrófagos. A forma de vitamina D proteína de ligação que direciona seus macrófagos para atacar as células do câncer é chamado GcMAF. Células cancerosas No entanto, muitos produzem uma proteína chamada NaGaLase que destroem proteínas de vitamina D de ligação.
No IAT usamos GcMAF feita a partir de soro saudável vitamina D humana proteína de ligação que ultrapassa a capacidade do câncer a desativar ativação de macrófagos com NaGaLase.
Se o seu sistema imunológico tem macrófagos inactivos, então GcMAF também restaurar a capacidade de seu sistema imunológico para ativar macrófagos permitindo-lhes mais uma vez, identificar e atacar as células cancerosas. 
vitamina D proteína de ligação é o fator ativador de macrófagos primários. Sua ótima saúde depende de um sistema específico e imunológico forte. Os macrófagos são uma parte vital do seu sistema imunitário que têm a capacidade de identificar bactérias, vírus, fungos e células cancerosas.
A vitamina D é produzida principalmente no seu corpo da exposição à luz solar.
Como nossos macrófagos são ativados depende de como as células T e células B modificar nossas proteínas de vitamina D de ligação. A forma específica de vitamina D proteína de ligação que direciona seus macrófagos para atacar as células do câncer é chamado GcMAF.Muitas células cancerosas produzem uma proteína chamada NaGaLase que destroem proteínas de vitamina D de ligação. No IAT usamos GcMAF feita a partir de saudável níveis séricos de vitamina D de ligação proteína humana, ignorando assim a capacidade do câncer a desativar ativação de macrófagos com NaGaLase. Se o seu sistema imunológico tem macrófagos inactivos, então GcMAF irá restaurar a capacidade do seu sistema imunológico para ativar macrófagos para o câncer.
Aqui está uma explicação mais detalhada recentemente juntos.
Resumo:
A recente proliferação de estudos publicados que descrevem o papel da vitamina D na prevenção de muitas doenças associadas com um sistema imunológico enfraquecido, trouxe à luz a importância de monitorar os níveis séricos de 25 (OH) vitamina D. (1) Especificamente, o direto correlação entre os níveis de vitamina D no soro humano com níveis aumentados de cathelicidin ea catelicidina papel potenciador desempenha na resposta imunitária a infecções, cancro, doença auto-imune, e especialmente infecções virais agudas. (2) Embora a pesquisa em vitamina D precisa continuar, a importância da vitamina D proteína de ligação (VDBP) tem sido demonstrado ter funções sinérgicas, mas independente do sistema imunológico humano. (3) Este artigo analisará o papel emergente da VDBP em no campo da imunologia.
Método:
Uma revisão da literatura científica pertencente à vitamina D proteína de ligação e os seus derivados identificados no soro humano e produzido no laboratório.
Resultados:
A vitamina D proteína de ligação, também conhecido como Gc-proteína, é um grupo de proteínas de isoformas com O-linked glicanos. A isoforma dominante de VDBP são não-glicosiladas 656 Da proteínas produzidas principalmente no fígado. (4) A vitamina D proteína de ligação participa na estabilidade das células do fígado e regeneração através de cálcio interacção dependente com o receptor de megalin/gp330. (5) Existem quatro importante VDBP papéis tem em seres humanos. Ele liga circulantes de vitamina D para transporte e armazenamento, é o mais importante de scavenger extracelular G-actina, aumenta a actividade quimiotáctica de C5a para neutrófilos em inflamação, e activa macrófagos através GaINAc-modificado Gc-proteína. (6) Adicionalmente, os níveis baixos de VDBP foram correlacionadas com sépsis de múltiplos órgãos falha, ea sobrevivência de não-na insuficiência hepática fulminante e insuficiência hepática traumática. (7) A isoforma não glicosilada de VDBP é capaz de mascarar a presença de endotoxinas em 20% (7). Terapia com VDBP pode aumentar a sobrevida em trauma, sepse e insuficiência hepática fulminante. (7)
A função de VDBP é independente das acções de hormonas de 1,25 (2OH) vitamina D e que tem impacto limitado na piscina extracelular de 1,25 (OH) vitamina D. (8) A vitamina D proteína de ligação não tem virtualmente qualquer impacto no a distribuição, captação, perfil de ativação, ou potência biológica do hormônio da vitamina D. (8) Vitamina D proteína de ligação não é afetada pela raça ou adiposidade do caminho níveis de vitamina D são afetados. (9) Os níveis séricos de VDBP são reduzidos em trauma, infecções séptico, e doenças do fígado crónica ou aguda. (10) Os níveis normais de VDBP soro são 350-50 mg / L e baixos níveis inferiores a 80 mg / L produzir um valor de mortalidade positiva e negativa preditivo de 85% e 43%, respectivamente (11).
Embora a vitamina D proteína de ligação é um factor de activação de macrófagos primários, várias isoformas glicosiladas têm propriedades de activação mais potentes e específicos de macrófagos. (12) O mais potente factor de activação de macrófagos soro (MAF) é produzido por uma série de reacções de glicosilação realizada pela B- células e células T (13). Vitamina D-MAF, como uma actividade adjuvante potente para a imunização e saudáveis ​​níveis séricos de MAF prevenir tumores de ser capaz de transplantar em ratinhos (14). Outros papéis para VDBP derivados MAF têm sido descritos, incluindo uma função anti-angiogénese através do bloqueio de VEGF induzida por angiogénese (15).
Laboratório MAF derivado de soro VDBP tem a vantagem de macrófagos de activação e não sendo desglicosilada por N-acetylgalactosaminidase enzimas (NaGaLase) produzidas por células cancerosas e bactérias infecciosas, vírus e fungos. (16) A dose clínica obrigado a ter uma activação sistémica de sustentada macrófagos em 100 mcg injectado semanal. (16) Um novo MAF (GC-MAF) pode ser produzido em laboratório com actividade cancro específica que tem como alvo as células cancerosas indiferenciadas melhor do que as células cancerosas bem diferenciadas. (17) Vários estudos clínicos prospectivos de tratamento de câncer e HIV, com Gc-MAF têm sido relatados e três ensaios com cancro do cólon, mama e câncer de próstata apresentaram taxa de remissão de 100% além dos cinco anos desde Gc-MAF tratamento. (16) (17) (18)
Discussão:
A experiência científica e clínica com VDBP e Gc-MAF são muito encorajadores. Vários ensaios clínicos estão em andamento nas Bahamas no Centro de Terapia Imunológica Aumento de reproduzir e confirmar os estudos clínicos atuais, bem como para responder a várias questões clínicas que ainda não foram relatados na literatura científica sobre VDBP e Gc-MAF. Se você gostaria de registrar todos os clientes com câncer ou imunossupressão em um ensaio com Gc-MAF, por favor entre em contato com o autor deste comentário. www.immunemedicine.com

Citações:
Bikie DD, "A vitamina D e função imunológica: compreendendo vias comuns" Curr Osteoporos Rep. 2009 Jul; 7 (2) :58-63
Yuk JM, DM Shin, Lee HM, Yang CS, HS Jin, Kim KK, Lee SH, JM Kim, Jo EK, "Vitamina D3 induz a autofagia em monócitos humanos / macrófagos através cathelicidin" Cell Host Microbe. 2009 Set 17; 6 (3) :231-43
Chkri M et al, "Produção de macrófagos humanos com potentes propriedades antitumorais (MAK) por cultura de monócitos na presença de GM-CSF e 1,25-dihidroxi vitamina D3." Anticancer Res. 1992 Nov-Dez, 12 (6B) :2257-60
Christiansen M et al, "caracterização química de proteína de Gc-globulina (vitamina D proteína de ligação) isoformas;. Gc-f1, Gc-s, e Gc-2" Biochem Biophys Acta. 2007 Apr; 1774 (4) :481-92
Gressner OA et al, "Gc-globulina (vitamina D proteína de ligação) é sintetizada e secretada pelos hepatócitos e internalizados pelas células estreladas hepáticas através de Ca2 + dependente interação com megalin/gp330 receptor." Clinica ChimiceActa 2008 Abr 390; 1-2:28 - 37
Nagasawa H et al, "Gc-proteína (proteína vitamina D-binding):. Gc genotipagem e GcMAF atividade precursor" Res anticancerígenos. 2005 Nov-Dec; 25 (6A) :3689-95
Jorgensen CS et al, "purificação em grande escala e caracterização de não-glicosilada Gc-proteína (proteína vitamina D de ligação) da fração de plasma IV". Biotechnol Appl Biochem.2006 Apr; 44 (pt1) :35-44
Zella LA et al, "Vitamina D influências de ligação de proteínas totais dos níveis circulantes de 1,25-dihidroxivitamina D3, mas não diretamente, modular os níveis bioativos do hormônio in vivo". Endocrinologia. 2008 Jul; 149 (7) :3656-67
Winters SJ et al, "Influência da obesidade sobre a vitamina D proteína de ligação e 25-hidroxi níveis de vitamina D em mulheres africanas e branco." Metabolismo. 2009 Apr; 58 (4) :438-42
Schiodt FV et al, "Maior volume de negócios de Gc proteína em pacientes com encefalopatia hepática." Scand J Gastroenterol. 2001 Sep; 36 (9) :998-1003
Schiodt FV et al, "Gc-globulina e prognóstico na insuficiência hepática aguda." Liver Transpl.2005 Oct; 11 (10) :1223-7 
Homma S et ai, ". Vitamina D-proteína de ligação (específico de grupo componente) é a proteína de soro único necessário para a activação de macrófagos após o tratamento de células peritoneais com liso-fosfatidilcolina" Immunol Cel Biol. 1993 de agosto; 71 (PT4) :249-57
Yamamoto et al N, "A conversão de vitamina D3 proteína de ligação (específico de grupo componente) para um factor de activação de macrófagos por acção progressiva da beta-galactosidase de B-celss e sialidase de células-T." J Immunol. 1993 01 de setembro, 151 (5) :2794-802
Yamamoto N et al, "estruturalmente bem definido fator ativador de macrófagos derivados de vitamina D3 proteína de ligação tem uma atividade adjuvante potente para a imunização." Immunol Cell Biol. Ju 1998; 76 (3) :237-44 
Kallunte S et al, "A inibição da angiogênese pela vitamina D proteína de ligação: caracterização da atividade anti-endotelial do PAD-MAF." A angiogênese. 2005; 8 (4) :349-60
Yamamoto N et al, ". Imunoterapia de câncer colorretal metastático com vitamina D da proteína de ligação do fator ativador de macrófagos derivados, Gc-MAF" Imunoterapia do Câncer Immunol 2008; 57:1007-16
Yamamoto N et al, "A imunoterapia de pacientes com câncer de mama metastático com vitamina D-bindng fator ativador de proteína derivada de macrófagos (GcMAF)." Int J Cancer.2008; 122:461-467
Yamamoto N, H Suyama, Yamamoto N "A imunoterapia para o câncer de próstata com Gc proteína derivada de fator ativador de macrófagos, GcMAF." Transl Oncol.2008 julho, 1 (2) :65-72 
(Artigonal SC # 1773282)
Kevin P. Betel
Sobre o autor:
Kevin Paul Bethel MD CM FAARM é o diretor de pesquisa do Centro de Terapia Imunológica Augmentation (Freeport Bahamas), o Consultor de Medicina Regenerativa na Renascença Medical Centre (Nassau Bahamas), e Diretor Médico do Centro de Bem-Estar Familiar Freeport (Bahamas Freeport).

Postar um comentário

NOSSO JORNAL

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!
PROGRAMA ESTRUTURADO, INDIVIDUALIZADO. ATENDIMENTO DOMICILIAR.

Postagens populares

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget

GOOGLE ANALÍTICO