AUTISMO EM GOIÂNIA

Seguidores

PALAVRAS DA FONOAUDIÓLOGA E MÃE MARILUCE

Eu não vou mudar meu filho porque é autista; eu prefiro mudar o mundo, e fazer um mundo melhor; pois é mais fácil meu filho entender o mundo, do que o mundo entender meu filho.

ESTOU SEMPRE NA BUSCA DE CONHECIMENTOS PARA AJUDAR MEU FILHO E PACIENTES. NÃO SOU ADEPTA DE NENHUM MÉTODO ESPECÍFICO, POIS PREFIRO ACREDITAR NOS SINAIS QUE CADA CRIANÇA DEMONSTRA. O MAIS IMPORTANTE É DEIXÁ-LOS SEREM CRIANÇAS, ACEITAR E AMAR O JEITO DIFERENTE DE SER DE CADA UM, POIS AFINAL; CADA CASO É UM CASO E PRECISAMOS RESPEITAR ESSAS DIFERENÇAS. COMPARAÇÃO? NÃO FAÇO NENHUMA. ISSO É SOFRIMENTO. MEU FILHO É ÚNICO, ASSIM COMO CADA PACIENTE.
SEMPRE REPASSO PARA OS PAIS - INFORMAÇÕES, ESTRATÉGIAS, ACOMODAÇÕES E PEÇO GENTILMENTE QUE "ESTUDEM" E NÃO FIQUEM SE LUDIBRIANDO COM "ESTÓRIAS" FANTASIOSAS DA INTERNET. PREFIRO VIVER O DIA APÓS DIA COM A CERTEZA DE QUE FAÇO O MELHOR PARA MEU FILHO E PACIENTES E QUE POSSO CONTAR COM OS MELHORES TERAPEUTAS - OS PAIS.

Por Mariluce Caetano Barbosa




COMO DEVO LIDAR COM MEU FILHO AUTISTA?

Comece por você, se reeduque, pois daqui pra frente seu mundo será totalmente diferente de tudo o que conheceu até agora. Se reeducar quer dizer: fale pouco, frases curtas e claras; aprenda a gostar de musicas que antes não ouviria; aprenda a ceder, sem se entregar; esqueça os preconceitos, seus ou dos outros, transcenda a coisas tão pequenas. Aprenda a ouvir sem que seja necessário palavras; aprenda a dar carinho sem esperar reciprocidade; aprenda a enxergar beleza onde ninguém vê coisa alguma; aprenda a valorizar os mínimos gestos. Aprenda a ser tradutora desse mundo tão caótico para ele, e você também terá de aprender a traduzir sentimentos, um exemplo disso: "nossa, meu filho tá tão agressivo", tradução: ele se sente frustrado e não sabe lidar com isso, ou está triste, ou apenas não sabe te dizer que ele não quer mais te ver chorando por ele.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Detecção de problemas comportamentais em uma criança por um professor com a gente aqui!

!

O mais comum é que eles são os pais que percebem que seu filho ou filha tem comportamentos anormais, e são eles que vêm em primeiro lugar para o consultório médico. Mas às vezes, isso não pode acontecer, e são educadores e professores do jardim de infância ou jardim de infância que pode realizar tais abusos. Se atrasos na linguagem, práticas restritivas, negligência, etc. Educadores têm bastante experiência na condução de crianças é o trabalho deles e, em alguns casos, pode ser o primeiro a detectar um possível atraso na evolução do menino ou menina.
Nesse caso, serão os professores e educadores que têm que falar com os pais para avisá-los desta situação.Todos nós sabemos que a intervenção precoce é crucial para a intervenção de crianças com algum distúrbio de desenvolvimento, e, assim, dar o primeiros sinais de alerta mais cedo possível é de grande importância para garantir à criança o melhor de intervenção o mais cedo possível. No entanto, devemos ser respeitoso e cuidadoso sobre esta abordagem às famílias. Vamos dar aos pais uma história que não é bom, e, portanto, devemos ser capazes de dar a abordagem certa, de modo que os pais recebem não é tão traumático e horríveis, mas a maneira mais natural possível e deixando claro que não fez um diagnóstico de qualquer tipo, mas é recomendado para visitar um especialista para tirar dúvidas.

Como identificar comportamentos associados com Transtornos Invasivos do Desenvolvimento?

Alguns dos comportamentos mais comuns incluem:
  • Mão batendo
  • Comportamentos obsessivos
  • Atraso ou falta de linguagem verbal
  • Apresenta uma linguagem repetitiva (ecolalia) ou disfuncionais
  • Apresenta uma comunicação restrita, usada apenas para conseguir o que você quer não é para interagir
  • Falta de jogo simbólico
  • Uso inadequado de brinquedos (girar, alinhar, jogando ...)
  • Nenhuma relação com seus pares e tem baixa empatia
  • Não responde a ordens ou serviço quando chamado
  • Não fique olhando
  • Brinquedos de classificação em uma linha
  • Ela tem um alto grau de frustração e birras
  • Um nível excessivo de atividade
  • Sem pontos
  • Rir sem motivo aparente
  • Indique suas necessidades usando a mão do professor ou educador
  • É muito sensível ao sólido, cheiros, texturas, a rejeição de contato físico
  • Apresenta uma birra inconsolável
Se um dos nossos alunos este tipo de comportamento pode ser um possível caso de uma criança com PDD.Dada esta situação, devemos agir. É o trabalho do educador o diagnóstico, mas se quisermos informar adequadamente os pais a compreender a situação e que a criança seja avaliada por uma equipe profissional. Da mesma forma, fazer um breve relato sobre os comportamentos que têm alertado a equipe para o profissional que irá avaliar a criança, a disponibilidade de informação adicional poderá ser útil.

Como informar os pais?

Se temos o suficiente sinais de advertência, detectado em um dos nossos alunos que, em seguida, notificar os pais. Para evitar a criação de uma situação tensa ou rejeição por parte dos pais, fazemos uma abordagem mais natural possível, usando a reunião para informar os pais em uma calma, para não se sentir atacado, mas sim o oposto, eles se sentem apoiados e acompanhados.
Há geralmente uma boa idéia que esta informação é transmitida pelo centro de toda a equipe, que pode assustar os pais, uma pessoa é capaz de dar informações sem causar qualquer tipo de trauma.
Devemos transmitir aos pais as informações que temos coletado e nos faz pensar que a criança tem um possível atraso no desenvolvimento e enfatizar a importância de iniciar o processo de revisão por especialistas.Eles dão recomendações aos pais, e, finalmente, eles são os únicos que têm que tomar as medidas adequadas. É muito importante que tomemos a mensagem com calma, sem alarme, de modo que os pais podem entender o que estamos dizendo, e se necessário, para dar qualquer explicação, conforme necessário.Eles devem entender que estamos todos do mesmo lado.
Em muitos casos, esse processo começa a partir de uma visita ao pediatra, por isso é importante que os pais têm um pequeno relatório pela equipe de educação, porque no caso em que o pediatra não tinha conhecimento suficiente sobre o assunto, será mais disposto a agir se for apoiada por um relatório de uma equipe educacional. Este relatório não deve fazer sugestões para intervenção ou ir além de um relatório objetivo sobre a presença de comportamentos na criança que considerem necessárias para ser avaliada por um especialista em Transtornos Invasivos do Desenvolvimento.

O que podemos fazer então?

Em seguida, a criança será avaliada por uma equipe especializada que lhe dará algumas orientações a seguir para a intervenção da criança. Os educadores devem ter em mente que acompanhou a intervenção precoce para centro de ensino regular onde a equipe de educação está envolvida em educação na diversidade, a criança pode continuar sua terapia na mesma escola. Conhecendo os padrões de intervenção educacional para essas crianças, os educadores poderão trabalhar com mais confiança e em colaboração com a equipe de terapeutas, dar à criança muitas oportunidades de evoluir mais rápido.
Educadores não devem pensar que a presença de uma criança com PDD na sala de aula deve ser um problema se você souber como agir pode obter grande satisfação e ajudar outras crianças a entender o comportamento "bizarro" a criança com problemas, para que possamos usar um modelo de co-aprendizagem, onde os parceiros da própria criança com PDD ter um envolvimento direto e por sua vez, ser um modelo de educação a diversidade.
É importante que a equipe de professores e educadores sabem, não só para detectar má conduta também têm conhecimento de como agir e intervir na sala de aula quando ajudamos os alunos com PDD para funcionar corretamente em sala de aula. O trabalho em conjunto com a família ea equipe de terapeutas é essencial para o bom desenvolvimento da criança.
Publicações para os educadores:
M-CHAT Teste
Mais informações úteis sobre a web EspectroAutista.Info ... (ver isso)
Guia visual para o autismo
Autism Speaks publicou informações úteis que podem ser encontrados AQUI

Autism Speaks Vídeo por informações relevantes sobre como dar informações para os pais

Postar um comentário

NOSSO JORNAL

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!
PROGRAMA ESTRUTURADO, INDIVIDUALIZADO. ATENDIMENTO DOMICILIAR.

Postagens populares

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget

GOOGLE ANALÍTICO