AUTISMO EM GOIÂNIA

Seguidores

PALAVRAS DA FONOAUDIÓLOGA E MÃE MARILUCE

Eu não vou mudar meu filho porque é autista; eu prefiro mudar o mundo, e fazer um mundo melhor; pois é mais fácil meu filho entender o mundo, do que o mundo entender meu filho.

ESTOU SEMPRE NA BUSCA DE CONHECIMENTOS PARA AJUDAR MEU FILHO E PACIENTES. NÃO SOU ADEPTA DE NENHUM MÉTODO ESPECÍFICO, POIS PREFIRO ACREDITAR NOS SINAIS QUE CADA CRIANÇA DEMONSTRA. O MAIS IMPORTANTE É DEIXÁ-LOS SEREM CRIANÇAS, ACEITAR E AMAR O JEITO DIFERENTE DE SER DE CADA UM, POIS AFINAL; CADA CASO É UM CASO E PRECISAMOS RESPEITAR ESSAS DIFERENÇAS. COMPARAÇÃO? NÃO FAÇO NENHUMA. ISSO É SOFRIMENTO. MEU FILHO É ÚNICO, ASSIM COMO CADA PACIENTE.
SEMPRE REPASSO PARA OS PAIS - INFORMAÇÕES, ESTRATÉGIAS, ACOMODAÇÕES E PEÇO GENTILMENTE QUE "ESTUDEM" E NÃO FIQUEM SE LUDIBRIANDO COM "ESTÓRIAS" FANTASIOSAS DA INTERNET. PREFIRO VIVER O DIA APÓS DIA COM A CERTEZA DE QUE FAÇO O MELHOR PARA MEU FILHO E PACIENTES E QUE POSSO CONTAR COM OS MELHORES TERAPEUTAS - OS PAIS.

Por Mariluce Caetano Barbosa




COMO DEVO LIDAR COM MEU FILHO AUTISTA?

Comece por você, se reeduque, pois daqui pra frente seu mundo será totalmente diferente de tudo o que conheceu até agora. Se reeducar quer dizer: fale pouco, frases curtas e claras; aprenda a gostar de musicas que antes não ouviria; aprenda a ceder, sem se entregar; esqueça os preconceitos, seus ou dos outros, transcenda a coisas tão pequenas. Aprenda a ouvir sem que seja necessário palavras; aprenda a dar carinho sem esperar reciprocidade; aprenda a enxergar beleza onde ninguém vê coisa alguma; aprenda a valorizar os mínimos gestos. Aprenda a ser tradutora desse mundo tão caótico para ele, e você também terá de aprender a traduzir sentimentos, um exemplo disso: "nossa, meu filho tá tão agressivo", tradução: ele se sente frustrado e não sabe lidar com isso, ou está triste, ou apenas não sabe te dizer que ele não quer mais te ver chorando por ele.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Autismo e Integração Sensorial parte 1

Autismo e Integração Sensorial parte 1


Todos experiências sensoriais (ver, ouvir, sentir, tocar, cheirar, movimentar e saborear um alimento) em alguns momentos da sua vida podem ser agradáveis ou desagradáveis para as crianças com espectro autista.

Algumas experiências sensoriais que podem tornar a vida intolerável por um tempo como o barulho das unhas arranhando um quadro-negro, etiquetas ou tecidos ásperos das roupas, luzes brilhantes, ou alimentos muito frios e pastosos.

Cada criança tem sua própria lista individualidade de sensações particularmente intolerável. Não há duas listas de pessoas idênticas.
Por exemplo, algumas pessoas têm dificuldade para dormir com a televisão ligada ao fundo, enquanto as outras pessoas acham que os ruídos TV ajuda dormir mais rápido. Uma pessoa pode assustar com o som (liquidificador, enceradeira ou secador de cabelo), enquanto outro pode até não perceber o som. Algumas pessoas gostam de um toque muito leve em sua pele, enquanto outros sentem cócegas e não podem tolerar ser tocada.(não gosta de abraçar ou beijar).


Extremas questões sensoriais são muito comuns no autismo. Algumas crianças autistas não conseguem tolerar os sons ou abraços, enquanto a outra é indiferente aos sons e abraços. Uma criança autista pode ter uma reação explosiva e exagerada a barulhos altos, enquanto a outra não reage a todos.

As crianças autistas com problemas sensoriais têm dificuldade em filtrar a entrada sensorial. Seu sistema nervoso apresenta dificuldade no processamento sensorial (interpretar e organizar as informações sensorias vindas do seu próprio corpo ou do ambiente)


Atividades de Integração Sensorial para crianças autistas ajuda a melhorar o procesamento sensorial principalmente modulação sensorial. A auto-regulação dos estimulos como uma diminuição ou ampliação da intensidade que as crianças recebem podem alterar o comportamento.
As crianças autistas hiperativo diante estimulos sensoriais apresentam alterações comportamentais como( agitação, choro sem motivo, irritabilidade, movimentos estereotipados excessivos ou agressividade) .

Crianças autistas hipoativo diante os estimulos sensoriais apresentam comportamento passividade, sem reação aos estimulos externos e  pouca resposta para estimulos como toque, movimento, sons.

 Uma Terapeuta Ocupacional especialista abordagem de Integração Sensorial pode ajudar as crianças autistas diante dos estimulos sensoriais como ensinar exercícios alternativos e estruturado que atendam às suas necessidades sensoriais, ao mesmo tempo ajudá-los a permanecer dentro dos limites aceitáveis socialmente.

A teoria de abordagem neurocomportamental de Integração Sensorial nas crianças autistas, tem a função de facilitar a atenção, comunicação, socialização e diminuir os movimentos estereotipados.


Postar um comentário

NOSSO JORNAL

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!
PROGRAMA ESTRUTURADO, INDIVIDUALIZADO. ATENDIMENTO DOMICILIAR.

Postagens populares

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget

GOOGLE ANALÍTICO