AUTISMO EM GOIÂNIA

Seguidores

PALAVRAS DA FONOAUDIÓLOGA E MÃE MARILUCE

Eu não vou mudar meu filho porque é autista; eu prefiro mudar o mundo, e fazer um mundo melhor; pois é mais fácil meu filho entender o mundo, do que o mundo entender meu filho.

ESTOU SEMPRE NA BUSCA DE CONHECIMENTOS PARA AJUDAR MEU FILHO E PACIENTES. NÃO SOU ADEPTA DE NENHUM MÉTODO ESPECÍFICO, POIS PREFIRO ACREDITAR NOS SINAIS QUE CADA CRIANÇA DEMONSTRA. O MAIS IMPORTANTE É DEIXÁ-LOS SEREM CRIANÇAS, ACEITAR E AMAR O JEITO DIFERENTE DE SER DE CADA UM, POIS AFINAL; CADA CASO É UM CASO E PRECISAMOS RESPEITAR ESSAS DIFERENÇAS. COMPARAÇÃO? NÃO FAÇO NENHUMA. ISSO É SOFRIMENTO. MEU FILHO É ÚNICO, ASSIM COMO CADA PACIENTE.
SEMPRE REPASSO PARA OS PAIS - INFORMAÇÕES, ESTRATÉGIAS, ACOMODAÇÕES E PEÇO GENTILMENTE QUE "ESTUDEM" E NÃO FIQUEM SE LUDIBRIANDO COM "ESTÓRIAS" FANTASIOSAS DA INTERNET. PREFIRO VIVER O DIA APÓS DIA COM A CERTEZA DE QUE FAÇO O MELHOR PARA MEU FILHO E PACIENTES E QUE POSSO CONTAR COM OS MELHORES TERAPEUTAS - OS PAIS.

Por Mariluce Caetano Barbosa




COMO DEVO LIDAR COM MEU FILHO AUTISTA?

Comece por você, se reeduque, pois daqui pra frente seu mundo será totalmente diferente de tudo o que conheceu até agora. Se reeducar quer dizer: fale pouco, frases curtas e claras; aprenda a gostar de musicas que antes não ouviria; aprenda a ceder, sem se entregar; esqueça os preconceitos, seus ou dos outros, transcenda a coisas tão pequenas. Aprenda a ouvir sem que seja necessário palavras; aprenda a dar carinho sem esperar reciprocidade; aprenda a enxergar beleza onde ninguém vê coisa alguma; aprenda a valorizar os mínimos gestos. Aprenda a ser tradutora desse mundo tão caótico para ele, e você também terá de aprender a traduzir sentimentos, um exemplo disso: "nossa, meu filho tá tão agressivo", tradução: ele se sente frustrado e não sabe lidar com isso, ou está triste, ou apenas não sabe te dizer que ele não quer mais te ver chorando por ele.

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

A Escala Ritvo de Diagnóstico do Autismo Asperger - Revisada (RAADS-R

A Escala Ritvo de Diagnóstico do Autismo Asperger - Revisada (RAADS-R) é uma versão modificada da Escala Ritvo de Diagnóstico do Autismo Asperger (Ritvo et al. 2008). A base lógica do seu desenvolvimento foi a necessidade de uma ferramenta de diagnóstico clínico adjunta. Embora várias escalas de diagnóstico de crianças e adolescentes com SA estejam disponíveis, apenas uma escala revisada, a de Quociente de Espectro Autista (ou AQ) foi especificamente desenvolvida para adultos.Os autores enfatizam que é útil como instrumento de triagem, mas não como ferramenta de diagnóstico.
 Este teste foi desenvolvido para ser administrado por um médico em uma clínica e como tal tem uso limitado na autodiagnose. Em última instância, faça este teste com o apoio de alguém que conheça você muito bem. Se você suspeita ser portador de alguma desordem do espectro autista, tal como a Síndrome de Asperger, faça este teste, mas não confie nos resultados como sendo, de maneira alguma, prova absoluta.

The Ritvo Autism Asperger Diagnostic Scale-Revised (RAADS-R)

 Verdadeiro hoje e quando eu era jovemVerdadeiro apenas hojeVerdadeiro apenas quando eu tinha menos de 16 anosNunca foi verdadeiro
1) Sou uma pessoa simpática.
2) Sempre uso frases de filmes e TV nas conversas.
3) Sempre me surpreendo quando os outros me dizem que fui rude.
4) Às vezes falo alto ou baixo demais, sem perceber.
5) Frequentemente não sei como reagir nas situações sociais.
6) Eu consigo "me por no lugar do outro".
7) Para mim é difícil entender o que algumas frases significam, como "você é a menina dos meus olhos".
8) Eu só gosto de falar com pessoas que tenham os mesmos interesses que os meus.
9) Eu foco mais nos detalhes do que na na ideia geral.
10) Eu sempre noto a sensação da comida na minha boca. Isso é mais importante do que o próprio gosto.
11) Tenho saudades dos meus melhores amigos ou da minha família quando estamos separados por um longo tempo.
12) Às vezes ofendo os outros por dizer o que penso, mesmo sem querer.
13) Gosto apenas de pensar e falar sobre algumas coisas que me interessam.
14) Prefiro ir a um restaurante sozinho a ir com alguém que eu conheço.
15) Não consigo imaginar como seria ser outra pessoa.
16) Já me disseram que sou desajeitado(a) ou descoordenado(a).
17) As pessoas me acham estranho(a) ou diferente.
18) Compreendo quando meus amigos precisam ser confortados.
19) Sou muito sensível ao toque das roupas. A sensação das roupas no corpo é mais importante do que o modelo.
20) Gosto de copiar as maneiras de falar e agir de certas pessoas. Isso me ajuda a parecer mais normal.
21) Para mim, falar com mais de uma pessoa ao mesmo tempo pode ser muito intimidante.
22) Tenho de "agir como se fosse normal" para agradar aos outros, e fazer com que gostem de mim.
23) Encontrar-me com pessoas é em geral algo fácil paramim.
24) Quando alguém me interrompe quando estou falando sobre algo que me é muito interessante, fico extremamente confuso.
25) Para mim é difícil entender o sentimento das outras pessoas quando estão falando.
26) Gosto de conversar com várias pessoas ao mesmo tempo, como à mesa, num jantar, na escola ou no trabalho.
27) Levo as coisas muito ao pé da letra, e acabo não entendendo o que as pessoas estão tentando dizer.
28) Para mim é muito difícil entender quando as pessoas estão envergonhadas ou com inveja.
29) Algumas texturas que não incomodam os outros me são totalmente agressivas ao toque.
30) Fico extremamente aborrecido(a) quando a maneira em que costumo fazer as coisas é mudada de repente.
31) Nunca quis ou nunca precisei do que as outras pessoas chamam de "relacionamento íntimo".
32) Para mimé muito difícil começar ou terminar uma conversa. Preciso continuar até terminar.
33) Falo num ritmo normal.
34) O mesmo som, cor ou textura pode mudar de repente de muito delicado para muito grosseiro.
35) A frase "estou virado no avesso" me faz me sentir desconfortável.
36) Às vezes o som de uma palavra ou de um barulho agudo pode fazer doer minhas orelhas.
37) Sou uma pessoa compreensiva.
38) Não me conecto com personagens de filmes e não consigo sentir o que sentem.
39) Não consigo dizer se alguém está me paquerando.
40) Consigo ver em minha mente, com detalhes exatos, as coisas que me interessam.
41) Tenho listas dos coisas que me interessam, mesmo que não tenham uso prático (como estatísticas de eportes, fatos históricos e datas).
42) Quando meus sentidos estão sobrecarregados, tenho de me isolar para que eles "se desliguem".
43) Gosto de contar coisas para meus amigos.
44) Não sei julgar se alguém está interessado ou aborrecido com o que estou falando.
45) Pode ser difícil, para mim, ler o rosto e o movimento das mãos e do corpo de alguém que esteja falando.
46) A mesma coisa (como roupas ou temperaturas) pode parecer bem diferente, para mim, em ocasiões diferentes.
47) Eu me sinto muito confortável em encontros e ocasiões sociais.
48) Tento ser o mais prestativo possível quando as pessoas me contam seus problemas pessoais.
49) Me disseram que tenho uma voz incomim (monótona, infantil ou estridente)
50) Às vezes um assunto fica "emperrado" na minha mente, e eu tenho de falar sobre ele, mesmo que ninguém esteja interessado.
51) Faço certos movimentos repetitivos com minhas mãos (como agitá-las, girar pauzinhos ou linhas, mexer coisas diante dos meus olhos).
52) Nunca me interessei pelo que a maioria das pessoas considera interessante.
53) Sou considerado(a) uma pessoa compassiva.
54) Quando lido com pessoas, sigo uma lista de regras específicas que me ajudam a parecer normal.
55) Para mim é muito difícil trabalhar em grupos ou fazer parte deles.
56) Quando falo com alguém, é difícil mudar de assunto. Se a outra pessoa muda de assunto, fico muito aborrecido(a) e confuso(a).
57) Às vezes cubro as orelhas para bloquear barulhos doloridos (como aspiradores ou pessoas que falam muito, ou muito alto).
58) Consigo conversar e bater papo com as pessoas.
59) Às vezes, coisas que deveriam ser doloridas não são (por exemplo, quando me machuco ou queimo a mão no forno).
60) Quando estou falando com alguém, acho difícil saber quando é a minha vez de falar ou de ouvir.
61) Sou considerado(a) uma pessoa solítária pelos que me conhecem.
62) Geralmente falo em tom normal.
63) Gosto que as coisas sejam feitas exatamente do mesmo jeito todos os dias, e mesmo pequenas mudanças nas minhas rotinas me chateiam.
64) Fazer amigos e socializar é um mistério para mim.
65) Quando estou estressado(a), rodar ou balançar numa cadeira me acalma.
66) A frase "ele faz tudo de barriga" não faz sentido para mim.
67) Se estou num lugar em que há muitos cheiros, texturas, barulhos ou luzes intensas, fico ansioso(a) ou amedrontado(a).
68) Sei dizer se alguém está falando uma coisa e querendo dizer outra.
69) Gosto de ser eu mesmo(a) o máximo possível.
70) Meus pensamentos estão guardados na minha memória como em fichas de arquivo. Consigo "pegar" os que preciso, bastando procurar na "pilha de fichas" (ou algum outro método exclusivo).
71) O mesmo som me parece, às vezes, muito alto ou muito baixo, mesmo quando eu sei que o volume não foi mudado.
72) Gosto de passar o tempo comendo e conversando com minha família e amigos.
73) Não tolero coisas que não gosto (como cheiros, testuras, sons ou cores).
74) Não gosto de ser abraçado(a) ou segurado(a).
75) Quando vou a algum lugar tenho de seguir uma rotina familiar - ou posso ficar muito confuso(a) e aborrecido(a).
76) É difícil descobrir o que os outros esperam de mim.
77) Gosto de ter amigos íntimos.
78) As pessoas me dizem que sou muito detalhista.
79) Sempre me dizem que faço perguntas embaraçosas.
80) Costumo apontar o erro dos outros.



Postar um comentário

NOSSO JORNAL

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!
PROGRAMA ESTRUTURADO, INDIVIDUALIZADO. ATENDIMENTO DOMICILIAR.

Postagens populares

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget

GOOGLE ANALÍTICO