AUTISMO EM GOIÂNIA

Seguidores

PALAVRAS DA FONOAUDIÓLOGA E MÃE MARILUCE

Eu não vou mudar meu filho porque é autista; eu prefiro mudar o mundo, e fazer um mundo melhor; pois é mais fácil meu filho entender o mundo, do que o mundo entender meu filho.

ESTOU SEMPRE NA BUSCA DE CONHECIMENTOS PARA AJUDAR MEU FILHO E PACIENTES. NÃO SOU ADEPTA DE NENHUM MÉTODO ESPECÍFICO, POIS PREFIRO ACREDITAR NOS SINAIS QUE CADA CRIANÇA DEMONSTRA. O MAIS IMPORTANTE É DEIXÁ-LOS SEREM CRIANÇAS, ACEITAR E AMAR O JEITO DIFERENTE DE SER DE CADA UM, POIS AFINAL; CADA CASO É UM CASO E PRECISAMOS RESPEITAR ESSAS DIFERENÇAS. COMPARAÇÃO? NÃO FAÇO NENHUMA. ISSO É SOFRIMENTO. MEU FILHO É ÚNICO, ASSIM COMO CADA PACIENTE.
SEMPRE REPASSO PARA OS PAIS - INFORMAÇÕES, ESTRATÉGIAS, ACOMODAÇÕES E PEÇO GENTILMENTE QUE "ESTUDEM" E NÃO FIQUEM SE LUDIBRIANDO COM "ESTÓRIAS" FANTASIOSAS DA INTERNET. PREFIRO VIVER O DIA APÓS DIA COM A CERTEZA DE QUE FAÇO O MELHOR PARA MEU FILHO E PACIENTES E QUE POSSO CONTAR COM OS MELHORES TERAPEUTAS - OS PAIS.

Por Mariluce Caetano Barbosa




COMO DEVO LIDAR COM MEU FILHO AUTISTA?

Comece por você, se reeduque, pois daqui pra frente seu mundo será totalmente diferente de tudo o que conheceu até agora. Se reeducar quer dizer: fale pouco, frases curtas e claras; aprenda a gostar de musicas que antes não ouviria; aprenda a ceder, sem se entregar; esqueça os preconceitos, seus ou dos outros, transcenda a coisas tão pequenas. Aprenda a ouvir sem que seja necessário palavras; aprenda a dar carinho sem esperar reciprocidade; aprenda a enxergar beleza onde ninguém vê coisa alguma; aprenda a valorizar os mínimos gestos. Aprenda a ser tradutora desse mundo tão caótico para ele, e você também terá de aprender a traduzir sentimentos, um exemplo disso: "nossa, meu filho tá tão agressivo", tradução: ele se sente frustrado e não sabe lidar com isso, ou está triste, ou apenas não sabe te dizer que ele não quer mais te ver chorando por ele.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Medem a atividade cerebral de crianças com menos de seis meses ajuda a detectar autismo

Detectar autismo antes dos dois anos e quando os bebês não são comportamentos desta doença é possível. Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Londres desenvolveu um sistema que mede a atividade cerebral para ver se os bebês são mais prováveis ​​e estão em maior risco para esta doença quando forem mais velhos.


Ins? N Birkbeck University of London
Os primeiros sintomas de autismo pode ser detectada em uma idade adiantada. De fato, medir a atividade das crianças de seis meses pode ajudar a prever o futuro desenvolvimento dos sintomas do autismo , segundo a pesquisa realizada pelo Centro para o Cérebro e Desenvolvimento Cognitivo, Birkbeck, University of London e foi recentemente publicada na revista Current Biology . [Ver cursos de Psicologia ] O estudo é um pequeno passo para o diagnóstico precoce do autismo , que até agora rotineiramente detectada depois de dois anos, além de mostrar pela primeira vez que medições diretas de atividade cerebral durante o primeiro ano de vida são associados com idade tardia do diagnóstico de autismo , mesmo muito antes do aparecimento dos sintomas comportamentais característicos das pessoas com autismo e que surgem nos primeiros anos de vida da pessoa. disso, a pesquisa também produz outras provas o fato de que no primeiro ano de vida os bebês irão desenvolver autismo eo cérebro ter respostas diferentes , quando, por exemplo, alguém a observá-los. Para a pesquisa, a equipe acompanhou bebês entre seis e 10 meses de idade e que estavam em risco aumentado para o autismo, porque eles tinham um irmão mais velho com a doença. Esses bebês são sensores passivos colocados sobre a cabeça para gravar a atividade cerebral enquanto visualiza rostos que estavam assistindo-los ou vice-versa, porque o cérebro humano mostra padrões característicos de atividade cerebral ao contato visual com outra pessoa, com a resposta necessária para interação face a face. No entanto, as crianças diagnosticadas com autismo apresentam padrões incomuns de contato visual, bem como as respostas do cérebro para as interações sociais que requerem contato com os olhos. Esse monitoramento constatou que as crianças irão desenvolver o autismo e processamento de informações sociais diferente , as medições sendo um indicador da sensibilidade maior risco ou a pessoa ter a doença, pois nesta idade os bebês sem marcadores evidentes de comportamentos característicos do autismo. No entanto, nem todos os bebês estudados e que apresentaram diferenças nas medições de atividade cerebral foram posteriormente diagnosticados com autismo, por isso os pesquisadores acreditam que este método deve evoluir e se combinam com outros fatores para formar um indicador mais preciso para uso clínico na população em geral e que pode ser detectado mais cedo essa doença para que os pacientes recebam os cuidados adequados desde o início.

Postar um comentário

NOSSO JORNAL

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!
PROGRAMA ESTRUTURADO, INDIVIDUALIZADO. ATENDIMENTO DOMICILIAR.

Postagens populares

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget

GOOGLE ANALÍTICO