AUTISMO EM GOIÂNIA

Seguidores

PALAVRAS DA FONOAUDIÓLOGA E MÃE MARILUCE

Eu não vou mudar meu filho porque é autista; eu prefiro mudar o mundo, e fazer um mundo melhor; pois é mais fácil meu filho entender o mundo, do que o mundo entender meu filho.

ESTOU SEMPRE NA BUSCA DE CONHECIMENTOS PARA AJUDAR MEU FILHO E PACIENTES. NÃO SOU ADEPTA DE NENHUM MÉTODO ESPECÍFICO, POIS PREFIRO ACREDITAR NOS SINAIS QUE CADA CRIANÇA DEMONSTRA. O MAIS IMPORTANTE É DEIXÁ-LOS SEREM CRIANÇAS, ACEITAR E AMAR O JEITO DIFERENTE DE SER DE CADA UM, POIS AFINAL; CADA CASO É UM CASO E PRECISAMOS RESPEITAR ESSAS DIFERENÇAS. COMPARAÇÃO? NÃO FAÇO NENHUMA. ISSO É SOFRIMENTO. MEU FILHO É ÚNICO, ASSIM COMO CADA PACIENTE.
SEMPRE REPASSO PARA OS PAIS - INFORMAÇÕES, ESTRATÉGIAS, ACOMODAÇÕES E PEÇO GENTILMENTE QUE "ESTUDEM" E NÃO FIQUEM SE LUDIBRIANDO COM "ESTÓRIAS" FANTASIOSAS DA INTERNET. PREFIRO VIVER O DIA APÓS DIA COM A CERTEZA DE QUE FAÇO O MELHOR PARA MEU FILHO E PACIENTES E QUE POSSO CONTAR COM OS MELHORES TERAPEUTAS - OS PAIS.

Por Mariluce Caetano Barbosa




COMO DEVO LIDAR COM MEU FILHO AUTISTA?

Comece por você, se reeduque, pois daqui pra frente seu mundo será totalmente diferente de tudo o que conheceu até agora. Se reeducar quer dizer: fale pouco, frases curtas e claras; aprenda a gostar de musicas que antes não ouviria; aprenda a ceder, sem se entregar; esqueça os preconceitos, seus ou dos outros, transcenda a coisas tão pequenas. Aprenda a ouvir sem que seja necessário palavras; aprenda a dar carinho sem esperar reciprocidade; aprenda a enxergar beleza onde ninguém vê coisa alguma; aprenda a valorizar os mínimos gestos. Aprenda a ser tradutora desse mundo tão caótico para ele, e você também terá de aprender a traduzir sentimentos, um exemplo disso: "nossa, meu filho tá tão agressivo", tradução: ele se sente frustrado e não sabe lidar com isso, ou está triste, ou apenas não sabe te dizer que ele não quer mais te ver chorando por ele.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Sugestões de Estimulação de Linguagem

• Converse com a criança desde o nascimento, especialmente enquanto a alimenta. Á medida que esta cresce, acrescente informações, de acordo com os seus interesses e compreensão (exº: a respeito dos alimentos, diga-lhe os nomes, como são confeccionados, etc.); 

• Aproveite situações como o banho ou a troca de roupa para nomear as partes do corpo e as peças de roupa; pode sugerir à criança que lave determinada parte do corpo ou que pegue numa peça de roupa, sempre à medida da sua aceitação e compreensão;

• Utilize situações de passeio para falar sobre objectos e situações que vão acontecendo, não só dizendo os seus nomes, mas fazendo comentários ( exº: para que serve determinado objecto; a consequência de uma determinada acção);

• Ao fazer compras na companhia da criança, converse sobre os produtos e aproveite para ouvir o que a criança tem a dizer sobre o assunto. É importante que ela faça parte da conversa, que não seja só ouvinte;

• Ao cozinhar ou realizar outras actividades do dia-a-dia, converse com a criança sobre o que está a fazer e pergunte a opinião dela;


• Converse com a criança, antes de sair, sobre onde irão, o nome do local, porque irão visitá-lo, enfim, aproveite o tema para estabelecer diálogo com seu filho. Isso deve ser feito de forma agradável e significativa para ambos, a criança deve ter o maior prazer em comunicar;

• Cante com seu filho, relembre músicas infantis e alterne trechos em que cada um canta uma parte;

• Leia para a criança com frequência, desde muito cedo, aumentando o tempo de leitura de forma gradual. Respeite o seu limite de atenção, utilize livros e outros materiais apropriados para cada faixa etária. Com este hábito, desenvolve-se não só a linguagem oral (falada), mas também é estimulado o interesse pela linguagem escrita.
Postar um comentário

NOSSO JORNAL

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!
PROGRAMA ESTRUTURADO, INDIVIDUALIZADO. ATENDIMENTO DOMICILIAR.

Postagens populares

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget

GOOGLE ANALÍTICO