AUTISMO EM GOIÂNIA

Seguidores

PALAVRAS DA FONOAUDIÓLOGA E MÃE MARILUCE

Eu não vou mudar meu filho porque é autista; eu prefiro mudar o mundo, e fazer um mundo melhor; pois é mais fácil meu filho entender o mundo, do que o mundo entender meu filho.

ESTOU SEMPRE NA BUSCA DE CONHECIMENTOS PARA AJUDAR MEU FILHO E PACIENTES. NÃO SOU ADEPTA DE NENHUM MÉTODO ESPECÍFICO, POIS PREFIRO ACREDITAR NOS SINAIS QUE CADA CRIANÇA DEMONSTRA. O MAIS IMPORTANTE É DEIXÁ-LOS SEREM CRIANÇAS, ACEITAR E AMAR O JEITO DIFERENTE DE SER DE CADA UM, POIS AFINAL; CADA CASO É UM CASO E PRECISAMOS RESPEITAR ESSAS DIFERENÇAS. COMPARAÇÃO? NÃO FAÇO NENHUMA. ISSO É SOFRIMENTO. MEU FILHO É ÚNICO, ASSIM COMO CADA PACIENTE.
SEMPRE REPASSO PARA OS PAIS - INFORMAÇÕES, ESTRATÉGIAS, ACOMODAÇÕES E PEÇO GENTILMENTE QUE "ESTUDEM" E NÃO FIQUEM SE LUDIBRIANDO COM "ESTÓRIAS" FANTASIOSAS DA INTERNET. PREFIRO VIVER O DIA APÓS DIA COM A CERTEZA DE QUE FAÇO O MELHOR PARA MEU FILHO E PACIENTES E QUE POSSO CONTAR COM OS MELHORES TERAPEUTAS - OS PAIS.

Por Mariluce Caetano Barbosa




COMO DEVO LIDAR COM MEU FILHO AUTISTA?

Comece por você, se reeduque, pois daqui pra frente seu mundo será totalmente diferente de tudo o que conheceu até agora. Se reeducar quer dizer: fale pouco, frases curtas e claras; aprenda a gostar de musicas que antes não ouviria; aprenda a ceder, sem se entregar; esqueça os preconceitos, seus ou dos outros, transcenda a coisas tão pequenas. Aprenda a ouvir sem que seja necessário palavras; aprenda a dar carinho sem esperar reciprocidade; aprenda a enxergar beleza onde ninguém vê coisa alguma; aprenda a valorizar os mínimos gestos. Aprenda a ser tradutora desse mundo tão caótico para ele, e você também terá de aprender a traduzir sentimentos, um exemplo disso: "nossa, meu filho tá tão agressivo", tradução: ele se sente frustrado e não sabe lidar com isso, ou está triste, ou apenas não sabe te dizer que ele não quer mais te ver chorando por ele.

sábado, 1 de outubro de 2011

Actividades de desenvolvimento da consciência das sílabas que constituem as palavras


Seguem-se alguns exemplos de actividades que normalmente executamos no momento diário da Reunião, área destinada a desenvolver actividades que promovem a comunicação e a interacção social.
Este é um momento privilegiado em que todas as crianças do grupo se encontram e se propicia a estes jogos quer de forma individual ou em grupo. Evidentemente que noutros locais se podem fazer este tipo de actividades, mas nesta altura aproveitamos também para enfatizar o desenvolvimento da linguagem:
- contando histórias,
-falando dos acontecimentos da sua vida,
-do tempo,
-das sequências dos dias da semana e do mês,
-aprender e cantar canções,
-rimas
-imitar batimentos, gestos e acções,
-explorar objectos, imagens, sons e fantoches,
consideramo-lo o momento crucial e o espaço mais adequado.  
 
Poesias, canções e versos

Objectivo: Usar poesias, canções e versos para aprimorar a consciência das crianças acerca dos padrões de sons da fala.

Apresentação e desenvolvimento: As poesias, canções ou versos rimados que as crianças já conhecem de cor oferecem oportunidades especiais para o jogo da rima. Inicialmente, apresente às crianças apenas uma ou duas rimas para que elas possam aprender bem. Com o tempo, podem-se acrescentar mais rimas.

            Ao introduzir um novo poema ou canção, leia-o ou recite-o antes para as crianças, enfatizando o seu ritmo e exagerando as suas rimas. A seguir, relendo verso por verso, as crianças devem repetir cada uma delas em uníssono. Para que possam ouvir e aprender as palavras, o ritmo deve ser lento e deliberado inicialmente, ganhando velocidade aos poucos, à medida que as crianças adquirem domínio.

Variantes:

·        Recite o poema baixinho, mas dizendo as palavras que rimam em voz alta.

·        Recite o poema em voz alta, mas diga as palavras que rimam baixinho.

·        Recite o poema aumentando o tom de voz à medida que avança.

·        Recite o poema em coro ou em roda.

 
Pega numa coisa da caixa

Objectivo: Reforçar a capacidade das crianças de analisar palavras em sílabas, pedindo-lhes que batam palmas e contem o número de sílabas num conjunto de palavras diferentes.

Apresentação e desenvolvimento: Colocar um conjunto de objectos numa caixa. Certifique-se que haja objectos que se distingam quanto ao número de sílabas, por exemplo, va-ca (2), lá-pis (2), ca-va-lo (3), bor-bo-le-ta (4).

                Convidar uma criança a fechar os olhos, escolher um objecto e nomeá-lo (por exemplo, “isto é um lápis”). Todas as crianças devem repetir o nome do objecto escolhido enquanto acompanham as suas sílabas com palmas, lá-pis. Perguntar quantas sílabas se ouviram.

                Gradualmente à medida que as crianças progridem no jogo, poderá ser tornado mais difícil usando objectos com nomes mais longos e de tamanhos mais variados.

Variantes:

·         Usar movimentos físicos em vez de palmas.

·         Para ampliar o vocabulário do jogo, usar figuras em vez de objectos reais. Poderão ser usadas figuras relacionadas com um tema em estudo na sala.



 
Adivinha o que estou a dizer

Objectivo: Fazer a síntese silábica constituindo palavras.

Idade: 5 anos

Apresentação e desenvolvimento: A actividade é realizada com todo o grupo, embora se chame uma criança de cada vez.

A educadora pede à criança que adivinhe e diga muito rapi­damente a palavra que ela (educadora) vai dizer devagarinho. Algumas crianças têm tendência a repetir o que a educadora diz. Assim, é importante a explicitação dos diferentes ritmos.

Ex.: Educadora - "Vais adivinhar esta palavra e dizê-la rápido! SA - PO"   Criança - "SAPO"



by Prof. de Ens. Especial Rosa Ribeiro e Helena Marques
Postar um comentário

NOSSO JORNAL

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!
PROGRAMA ESTRUTURADO, INDIVIDUALIZADO. ATENDIMENTO DOMICILIAR.

Postagens populares

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget

GOOGLE ANALÍTICO