AUTISMO EM GOIÂNIA

Seguidores

PALAVRAS DA FONOAUDIÓLOGA E MÃE MARILUCE

Eu não vou mudar meu filho porque é autista; eu prefiro mudar o mundo, e fazer um mundo melhor; pois é mais fácil meu filho entender o mundo, do que o mundo entender meu filho.

ESTOU SEMPRE NA BUSCA DE CONHECIMENTOS PARA AJUDAR MEU FILHO E PACIENTES. NÃO SOU ADEPTA DE NENHUM MÉTODO ESPECÍFICO, POIS PREFIRO ACREDITAR NOS SINAIS QUE CADA CRIANÇA DEMONSTRA. O MAIS IMPORTANTE É DEIXÁ-LOS SEREM CRIANÇAS, ACEITAR E AMAR O JEITO DIFERENTE DE SER DE CADA UM, POIS AFINAL; CADA CASO É UM CASO E PRECISAMOS RESPEITAR ESSAS DIFERENÇAS. COMPARAÇÃO? NÃO FAÇO NENHUMA. ISSO É SOFRIMENTO. MEU FILHO É ÚNICO, ASSIM COMO CADA PACIENTE.
SEMPRE REPASSO PARA OS PAIS - INFORMAÇÕES, ESTRATÉGIAS, ACOMODAÇÕES E PEÇO GENTILMENTE QUE "ESTUDEM" E NÃO FIQUEM SE LUDIBRIANDO COM "ESTÓRIAS" FANTASIOSAS DA INTERNET. PREFIRO VIVER O DIA APÓS DIA COM A CERTEZA DE QUE FAÇO O MELHOR PARA MEU FILHO E PACIENTES E QUE POSSO CONTAR COM OS MELHORES TERAPEUTAS - OS PAIS.

Por Mariluce Caetano Barbosa




COMO DEVO LIDAR COM MEU FILHO AUTISTA?

Comece por você, se reeduque, pois daqui pra frente seu mundo será totalmente diferente de tudo o que conheceu até agora. Se reeducar quer dizer: fale pouco, frases curtas e claras; aprenda a gostar de musicas que antes não ouviria; aprenda a ceder, sem se entregar; esqueça os preconceitos, seus ou dos outros, transcenda a coisas tão pequenas. Aprenda a ouvir sem que seja necessário palavras; aprenda a dar carinho sem esperar reciprocidade; aprenda a enxergar beleza onde ninguém vê coisa alguma; aprenda a valorizar os mínimos gestos. Aprenda a ser tradutora desse mundo tão caótico para ele, e você também terá de aprender a traduzir sentimentos, um exemplo disso: "nossa, meu filho tá tão agressivo", tradução: ele se sente frustrado e não sabe lidar com isso, ou está triste, ou apenas não sabe te dizer que ele não quer mais te ver chorando por ele.

terça-feira, 1 de março de 2011

O AUTISMO É TRATÁVEL - Drª Jaquelyn MacCandless


ENTREVISTA Dra. Jaquelyn MacCandless
Resumo : Autismo é tratável e quanto mais cedo pudermos começar, melhor. Entretanto , nunca é muito tarde para começar a ajudar estas
crianças medicamente doentes a ter uma saúde melhor. Vacinas com toxinas e antibióticos danificaram seus sistemas imunológico e
gastrointestinal.
Nós aprendemos que a saúde do intestino é fundamental no caminho da cura destas crianças e uma dieta de restrição( sem caseína, glutén ,
soja e açúcar) é a primeira e melhor estratégia que os pais podem utilizar para iniciar a recuperação de seus filhos.
Uma vez que interrompemos a ingestão de alimentos que mantem seus intestinos inflamados e utilizamos testes laboratoriais para nos
guiar, conseguimos dar a eles os nutrientes necessários para nutrir seus “cérebros famintos” podendo tratar e prevenir infecções intestinais que causam tantos problemas nas fezes. Podemos começar a corrigir a metilação e o metabolismo dos folatos com novos e excitantes tratamentos tais como injeções de metilcobalamina que ajudam os mecanismos de desintoxicação e metilação a funcionarem de forma mais efetiva. Nós aprendemos maneiras de quelar metais pesados de seus corpos com agentes moderados que ajudam na desintoxicação como o TTFD até substâncias mais potentes porém seguras como o DMSA e atualmente o DMPS numa forma transdêrmica ,muito efetiva e não invasiva. Estas e outras estratégias para aumentar a imunidade nos ajudam a controlar as infecções virais que acompanham as alterações
tóxicas frequentemente sem a utilização de remédios. Este amplo protocolo biomédico está trazendo grande desenvolvimento e até mesmo
recuperação sem precedentes para um grande número de crianças situadas no Espectro de Doenças Relacionadas ao Autismo.

© Copyright 2005, Pearblossom Private School, Inc–Publishing
Division. All rights reserved.
Keywords: autism treatments, autism spectrum disorder, methylcobalamin injections, heavy metal chelation agents
<!--[if !supportLineBreakNewLine]-->
<!--[endif]-->
É uma honra dar as Boas Vindas a Dra Jaquelyn McCandless , autora do livro ” Crianças com Cérebros Famintos: Um guia de tratamento médico para o Espectro de Doenças Relacionadas ao Autismo.” Dra. McCandless é uma médica experiente e com certificação pela Academia Americana de Psiquiatria e Neurologia. Bem vinda, Dra. McCandless e muito obrigado por se juntar a nós no Austism One Radio e Autism, Help Hope and Healing.

- É um prazer, Teri. Estou contente de estar com vocês.
Dra. McCandless, qual a importância de reconhecermos que as crianças com diagnóstico de autismo estão medicamente doentes?

R - O mais importante é que estas crianças não podem nos dizer se alguma coisa as incomoda. Elas podem estar com muita dor ou uma terrível infecção intestinal ou ainda uma grave infecção de ouvido. Podem ficar irritados mas não conseguem apontar o ouvido, não conseguem realmente nos dizer o que há . Desta forma, é extremamente importante para nós que suspeitemos que estão medicamente doentes assim podemos tratá-las.
Existe algum problema em considerar o autismo por uma perspectiva predominantemente genética?

R - Isto é um grande problema porque milhões de dólares foram gastos em pesquisas genéticas na busca de um gene que causasse o autismo – ninguém foi capaz de localizá-lo. Certamente que sabemos que há predisposição genética em muitas destas crianças mas não há um padrão claro e epidemias não são genéticas. A maioria de nós acredita que existam de 4 a 6 genes envolvidos. Destas forma, uma visão de uma doença primariamente genética é, na minha opinião, uma perda de tempo e dinheiro. Eu acredito que uma parte das pesquisas e dinheiro poderia ser direcionado para esta causa porém eu penso que o principal problema é que não estamos tratando adequadamente todas as centenas de milhares de crianças que estão doentes neste momento e que precisam de tratamento imediato. Eu acredito que o tratamento é a maior necessidade - muito mais do que gastar recursos financeiros e esforços em pesquisas genéticas que não ajudam a todas as crianças atualmente doentes.
Estas são considerações muito boas, Dra. McCandless. Que fatores a senhora acredita serem responsáveis pelo desencadeamento do autismo?

R - Eu acredito que o gatilho primário para o desencadeamento do autismo é o Thimerorsal presente nas vacinas e o número de vacinas que as crianças recebem atualmente. O super uso de antibióticos tem também um papel e a falta de conhecimento adequado em nutrição nas crianças sensíveis a leite e outros alimentos tais como farinhas e soja também desempenham um papel importante neste grupo particular de crianças. Mas, principalmente, eu acredito que o principal fator desencadeante é o Thimerosal presente nas vacinas e o número de vacinas que as crianças recebem muito precocemente antes que seu sistema imunológico consiga lidar com todas estas toxinas.
Existem testes laboratoriais e outras ciências que confirmam estes achados?

R - Sim e as pesquisas estão andando rapidamente. Especificamente, somente focando os estudos no aumento da incidência de autismo que
ocorreu paralelamente ao aumento do número de vacinas, a evidência epidemiológica é bastante forte de que com o aumento do número de vacinas, ocorreu aumento no número de casos de autismo. Em 1980 – 1985 , uma em dez mil crianças tinham autismo. Com o incremento do programa de vacinação cresceu o número de crianças autistas. Evidências mostram que de 1/10.000 este número passou a 1/166 nos Estados Unidos.
Além de evidências epidemiológicas que dão substrato a certos desencadeadores, também temos testes laboratoriais e outras ciências biológicas?
R - Sim, nós temos cientistas maravilhosos vindo participar e nos ajudar Apenas nos últimos dois anos, o Dr. Richard Deth e o Dra. Jill James forneceram a pesquisa científica de alta-ponta, mostra de evidências dos danos que Thimerosal (mercúrio) faz aos neurônios no cérebro. O trabalho deles revelou a evidência de defeitos na metilação e como o sulfhydryl reativa metais como o mercúrio, o chumbo, o arsênico e o cádmio parecem ser “disparadores” para muitos sintomas que vemos em nossas crianças do espectro autista. A Dra. James em seu grupo de estudo sobre autismo nos ajudou a ver como a glutationa diminuída como efeito destas neurotoxinas resulta no stress oxidativo e na morte das células dos neurônios. A capacidade celular reduzida da metilação gera então a redução da metilação do DNA; seu trabalho mostrou como os nutrientes certos poderiam ajudar a estes desorganizados caminhos a recuperar os níveis da glutationa
e a capacidade antioxidante. Pesquisas básicas assim conduzem a intervenção emocionante de tratamento, estratégias novas que estão ajudando a muitas crianças agora. O Dr. Mady Hornig fêz pesquisa com ratos e deu aos ratos estas mesmas toxinas e os ratos mostram realmente o mesmo tipo das características que nossas crianças autistas. O Dr. Boyd Haley contribuiu com a pesquisa sobre a desativação do mercúrio nas células do cérebro. Assim, a pesquisa está vindo , mais e mais com demonstrações diárias que Thimerosal (mercurio) é uma neurotoxina para o cérebro; aí começam uma série de eventos que são muito consistentes com todos os sintomas e sinais que nós vemos em nossas crianças autistas.
Eu gostaria de perguntar, qual o problema em confiar unicamente em terapias comportamentais e educacionais, às vezes com drogas psicoativas usadas também?
R - O que nós sentimos é que o cérebro quando saudável e um sistema metabólico que esteja funcionando, ajudará a uma criança responder
muito melhor a nossas terapias educacionais e comportamentais. Nós sabemos que há determinadas crianças que não estão tão danificadas, que realmente melhoram muito apenas com terapia comportamental porque nós sabemos que a estimulação do cérebro aumenta o crescimento neural e enquanto as crianças crescem elas começam a ter o intestino mais saudável. Mas o que nós sentimos é que as combinações dos tratamentos comportamental + educacional com o biomédico, faz com que as crianças tenham um intestino saudável e um sistema imunológico saudável, o que ajuda a obter melhor progresso total assim como terem a saúde melhor.
Este é um ponto muito importante, Dr. McCandless. Porque você colocou o nome “Crianças com cérebros Famintos” no seu livro?
R - O que eu aprendi, começando com meus estudos e esforços para tratar minha neta Chelsey 8 anos atrás, foi que estas crianças têm deficiências nutritivas e problemas de absorção de modo que não obtem os nutrientes que o cérebro necessita para funcionar e operar normalmente. Então, basicamente isto é o que o nome do livro diz. Estas crianças, com seus intestinos danificados e por causa de seus sistemas imunes danificados, não absorvem os nutrientes que o cérebro necessita para funcionar corretamente.
Que sistemas fisiológicos estão afetados na maioria dos pacientes autistas?

R - Praticamente todos. Eu não sei se existem muitas crianças que não têm esses problemas. De fato, poderia-se mesmo dizer que o autismo é uma doença gastrointestinal porque estas crianças, quando submetidas a endoscopia, são encontrados quase sempre inflamação no intestino e nós de nódulos linfóides ampliados, um intestino claramente danificado sem obter o tipo de nutrientes do alimento e sem digerir os nutrientes necessários para um corpo saudável. Assim eu diria que o intestino é o principal e o primeiro orgão afetado. E o que nós
sabemos é que o mercúrio que é injetado através das vacinas, causam problemas intestinais e danificam o sistema imune.
Assim os dois sistemas fisiológicos principais que são afetados pelas toxinas que eles recebem são o intestino e o sistema imunológico. Cría-se um ciclo vicioso; o sistema imunológico é danificado e assim as crianças começam a ter muitas infecções. Muitas crianças autistas têm uma história de muitas infecções de ouvido quando eram bebês e tomaram muitas doses de antibióticos. O antibiótico é um outro fator que prejudica o intestino e danifica o sistema imunológico. O intestino inflamado é suscetível à invasão pelos patógenos como fungos e a clostridia, e então os antibióticos vêm e inflamam mais ainda o intestino e matam as bactérias protetoras do mesmo, assim que nós começamos um ciclo de ferimento do intestino, sistema imunológico deficiente, mais antibióticos, mais ferimentos no intestino que não podem absorver nutrientes apropriados, e um sistema imunológico que não consegue manter a criança bem.
Qual é a primeira coisa, em sua opinião, que um pai deve fazer se suspeitar um diagnóstico do Espectro Autista, mesmo que seja antes da consulta programada com o médico?
R - Eu penso auto-instrução-leia, converse com outros pais. Eu penso que um pai necessita começar o uso da Internet e encontrar a riqueza de informações que está disponível. (Em inglês existem muitas web sites ótimas desde receitas livre de gluten e de caseina até Quelação) –
Naturalmente, eu acho que eles devem ler meu livro que é uma ferramenta que explica o que se pode fazer e como começar. Podem fazer muitas coisas antes que tenham a consulta com o médico. E a coisa principal, a primeira coisa, é retirar o leite, o trigo e a soja. Nós sabemos que estas crianças não podem digerir os grandes pept
ídeos do leite, do trigo e da soja. São venenos ao cérebro e a coisa número um que os pais necessitam fazer é removê-los da dieta da sua criança.
É importante o tipo de médico que os pais consultem para tratar o autismo?

R - Sim, eu diria que você pode tentar começar um DAN! (Derrote/ Desafie Autismo Agora) um doutor que foi treinado no protocolo, seria o ideal, mas nem sempre é possível. O tipo de doutor que você necessita é um doutor que esteja disposto a investigar o intestino, o sistema imunológico, os problemas que nós sabemos que nossas crianças têm. Você precisa de um médico que entenda que estas crianças estão doentes e necessitam de uma investigação para verificar o status do intestino, ver se têm infecções fungicas ou uma infecção bacteriana, e o médico precisa estar disposto a fazer os tratamentos necessários pro intestino, tais como antifungicos e os nutrientes necessários para eles melhorarem.
Então os pais fazem as coisas que você sugeriu, antes da consulta com o médico, eles vão ao médico e as suspeitas podem ser confirmadas. Qual é a primeira coisa os pais devem fazer quando recebem o diagnóstico?
R - Preparar-se para trabalhar muito, 24 horas, 7 dias por semana, porque o esforço em conseguir que estas crianças fiquem bem é um tremendo esforço para os pais. E eu dou forças para eles fazerem isso e pensarem que não será para sempre, mas neste momento eles realmente têm que prestar uma grande atenção no que esta criança necessita para ficar bem. Eu penso que uma das coisas mais duras para os pais que não foram expostos a este tratamento é realizar que não podem alimentar sua criança com o que a maioria de crianças comem. Não podem comer pizza, sorvete, frango frito. Não podem comer os alimentos que a maioria deles gostam. Têm que ser postos em uma dieta restrita. Isso é o número um que as crianças necessitam para melhorar. Quando eu começei a trabalhar com crianças, eu tive dois grupos dos pais. Um, os pais eram muito conscientes, eles fizeram tudo que tiveram que fazer: removeram o trigo, removeram o leite, removeram a soja, e finalmente removeram o açúcar. Estas crianças estavam começando a melhorar e melhorar e melhorar. Eu tive um outro grupo onde os pais eram resistentes. Não poderiam acreditar que só um pouquinho de açúcar feriria, ou um pouco do pão, ou uma bolachinha de vez em quando. As crianças destes pais constantemente tinham infecções fundicas, infecções com clostridia e regressões.
Finalmente, depois que eu me tornei boa e conhecida podendo ter todos os pacientes que eu quissesse, eu simplesmente dizia, “eu não aceitarei nenhum pai que não esteja disposto a ser estrito com a dieta e realmente trabalhar com a dieta.” Se nós não tivermos o intestino em boa forma, nós não chegaremos em lugar algum com estas crianças. A melhora do intestino é a prioridade numero 1. Este é um ponto bom. Eu ouvi que a dieta é tudo ou nada. E alguns pais fizeram com que a escola colocasse no plano educacional individual, para garantir que na escola a criança seguisse a dieta. Sim, eu penso que é extremamente importante para as escolas aonde vão para os avós e as babás que tomam conta destas crianças para que estejam muito bem informados que estes alimentos são realmente veneno para estas crianças. Às vezes você apenas tem que dizer que são alérgicos a estes alimentos. Você diz as escolas que sua criança é alérgica a estes alimentos e as escolas são responsáveis se sua criança tiver uma reação alérgica. Não é uma alergia verdadeira, mas é tão ruim como se fosse. Eu digo que eu não desperdiçarei dinheiro dos pais para testar se a criança pode ingerir trigo e leite porque muitos exames dão ok e as crianças não melhoram até que estejam postos na dieta e não terão perdido tempo precioso.
Assim 100% dos meus pacientes começam a dieta no dia 1, Primeiro o leite e depois o glúten depois a soja porque a soja é tão ruim quanto o leite e o glúten. E finalmente o açúcar que é o criminoso que permite que as infecções fun
gicas cresçam mais e mais, repetidamente. Infecções fungicas amam o açúcar, seu alimento favorito. Cada vez que você dá uma bolachinha pro seu filho você está convidando as infecções fungicas para crescer. E até que nós realmente conseguirmos passar esta mensagem para os pais, a melhora vai se atrasando.
O que nos diz sobre coisas como cores artificiais ou sabores artificiais?
R - Sim, algumas crianças são extremamente sensíveis aos fenóis. Nossos pequenos têm problemas com desentoxificacção. O que é uma das características das crianças autistas - eles não podem se livrar das toxinas como a maioria das pessoas podem. E nós temos que livrar os alimentos e o ambiente destas crianças da maior quantidade de toxinas possível para permitir que seus sistemas se recuperem realmente.
Quais são as primeiras coisas que você determina quando recebe um novo paciente?

R - Eu vejo se a criança olhar realmente doente, embora estes pequenos possam ter uma boa aparência e estar e ser muito doentes. Muitos deles têm a expressão maravilhosa, como anjos. Alguns deles não parecem doentes de forma alguma no entanto, quando eu faço os testes eles tem deficiências nutritivas numerosas, alguns com infecções fungicas, às vezes por anos. É surpreendente. Assim procuro ver como os pais estão, qual é a atitude dos pais e quanto esforço estão dispostos a fazer pra tratar sua criança. Quando eu estava em minha curva de aprendizagem com crianças, eu primeiramente testava o intestino, eu testava para ver se tivessem fungus(candida) e eu trataria isso 1o. Então eu faria testes para ver quais eram as deficiências nutritivas. Mas agora eu sinto que a melhor coisa para fazer, é testar tudo, o intestino, o sistema imune, os sistemas metabólicos, as toxinas. Eu quero obter a condição completa desta criança. Eu planejo o plano de tratamento para esta criança baseada nos testes. Apesar de ser um grande investimento financeiro, realmente vale a pena porque você faz o plano de tratamento sabendo o que a criança necessita por muito tempo com estes exames preliminares.
Você falou sobre exames simultâneos. Mas é melhor tratar múltiplas classes dos sintomas de uma vez em um paciente autista, ou há uma ordem preferida para a eficiência máxima e a recuperação?
R - É uma pergunta complicada porque nós temos que curar o intestino. E isso pode envolver primeiramente tratar uma infecção fungica ou clostridia, mas nós necessitamos também dar os nutrientes. Assim eu diria que o processo número um seria remover alimentos da dieta que estão causando inflamação; a dieta seria o número um antes que qualquer coisa é necessario remover aqueles alimentos que prejudicam a criança. Daí nós necessitamos tratar todas as infecções do intestino. Assim eu diria que tratar o instestino é número 2 e dar os nutrientes múltiplos que eles necessitam, e logo no começo você pode começar as injeções de metil-cobalamina para começar a equilíbrar e corrigir o sistema metabólico, isso tudo funciona junto. Assim eu diria que é um continuum, primeiramente recuperar o intestino e estaria substituindo os nutrientes e em segundo estaria começando a restituir o metabolismo, mas basicamente há a necessidade de acontecer simultaneamente. Depois disso, quando temos a criança em boas condições, a terceira coisa é a remoção dos metais pesados.
Então começamos a pensar no processo de quelação ou desentoxificação. Muitas crianças tem infestações de vírus mas na minha escala este é o número quarto, apesar de que eu testo os virus logo no começo para ter uma visão geral da situação da criança. Eu diria que curando o intestino, repondo os nutrientes corrigindo o sistema metabólico removendo os metais pesados e então tratando os vírus, muitas vezes quando removemos os metais pesados os vírus se acabam também. Todos nós temos vírus, mas há vezes em que é necessário tratamentos especificos com antivirus.
Quando você ve um novo paciente, existe uma correlação direta entre quantas áreas da fisiologia da criança estão afetadas com quantos sintomas eles mostram, e o que você pode prever para aquela criança?

Esta é a pergunta mais díficil. Eu diria que é muito difícil fazer uma correlação. Depois de um tempo, depois de já ter visto centenas de crianças eu sei os problemas que eles tem. Eu sei que quase todos eles tem inflamação no intestino, eu sei que eles tem deficiências nutricionais. Mas isso nem sempre é vísivel. Muitas vezes eles tem aparência saudável e a gente não consegue saber só pelas manias ou compulsões o que eles tem. Não há como fazer uma clara correlação. Alguns tem inflamações ou sistemas desorganizados sem equilíbrio algum e não demostram nenhum sintoma particular. Outros mostram muitos sintomas, eles deitam no sofá e estão sempre buscando pressão nos seus abdomens que é óbvio que estão com dores na barriga. O que eu sempre posso prever á a determinação dos pais de fazer tudo que podem para obter a melhor resposta possível do tratamento.
Quais são os testes de laboratório que são importantes? Acho que já falou um pouco deles.Eu tenho um sistema, geralmente eu peço uns dez ou onze numa avaliação inicial. Posso falar quais são? Ok.
1) Eu peço o exame de alergias 90-alimentos IgG (Todos já estão na dieta – eu não testo se não estão na dieta) Estas crianças podem melhorar com a dieta no começo e depois eles seguem em linha reta ou até pode haver regressão. Precisamos do teste porque as vezes eles desenvolvem sensibilidade a alimentos como ovos ou milho ou algum outro que nós não suspeitariamos. Alguns pais dizem “esta dieta não funciona”, mas eles nao retiraram ou o leite ou o glúten ou a soja ou o milho ou algo que não iriamos imaginar então este teste é imporante
somente depois que já estão na dieta.
2) Eu peço o teste dos Elementos do Cabelo, para checar os metais (nao toxinas do cabelo) e sim para ter uma idéia da excreção das toxinas. Algumas pessoas não usam este teste - hair elements; Eu tenho usado os mesmos por 6 anos e eu acho que eles são úteis para mim. No entanto, é necessário experiência para interpretá-los.
3) Eu peço A Analise compreensiva das Fezes com Parasitologia e este é para saber qual é a situação do intestino, quais tipos de probióticos eles necessitam. Todas estas crianças precisam de probióticos – eles são as “bactérias amigas do intestino”.
4)Eu peço uma análise dos Amino ácidos. A deficiência em digerir os grandes peptideos faz com que muitas crianças tenham deficiência em alguns dos seus mais importantes aminoácidos. E estes são os que criam os caminhos para os neuroransmissores do cérebro. Quase todas as criancas precisam de suplementar os amino ácidos. Através do teste de amino ácido, eu receito formulas customizadas que contém exatamente o que estas crianças necessitam.
5) O próximo é o exame para Homocisteina. Este parcialmente nos ajuda a acessar o estatus do metabolismo da metilação e do folato.

6) Checamos o ( RBC) Eritrograma e os minerais e as toxinas. Este teste é importante para checar o nível intracelular de importantes minerais e metais tóxicos, importante antes e durante a quelação.

7) Eu peço o Painel das Vitaminas para saber quais importantes anti-oxidantes e vitaminas eles estão precisando.

Eu peço a Análise dos ácidos graxos. Os omega-3 e 6 são quase sempre deficientes nestas crianças. Os ácidos graxos são muito importantes para as células do cérebro.

9) Eu peço o exame de Ácidos Orgânicos – análise da Urina. Este me deixa saber as deficiências metabólicas e se a criança tem infecções fungicas ou clostridia. Este é melhor que o exame de fezes porque mostra os fungos. Muitas vezes no processo do exame das fezes os fungos são destruidos.
10) O próximo exame é um Autismo Painel com estatus da metilação feito pelo Immunosciences Labs em Beverly Hills, CA. Este exame consiste em 17 testes do sistema immune e de virus. Este exame também fala se a crianca está se desentoxificando bem.por si mesma. Testa o nível de anticorpos e o nível de anticorpos contra o cérebro. É um exame muito importante.
11) E o útimo é o basico CBC, (exame de sangue completo), um painel químico, checando o fígado, as enzimas, o ferro e a tiróide.
Problemas comuns nas nossas crianças.
É assim que faço a avaliação dos novos pacientes.
Você poderia repetir a lista dos exames para os ouvintes?
Claro, vamos lá:
(1) teste de alergias 90-alimentos IgG,
(5) teste Homocisteina,
(6) O ( RBC) Eritrograma,
(7) Painel das Vitaminas,
(10) Autismo Painel com estatus da metilação ,
(11) CBC, (exame de sangue completo) fígado, ferro, tiróide.

Obrigada pela informação.
.
As crianças com problemas intestinais mais graves na sua opinião tem o autismo mais severo?

R - Com certeza, eles não estão obtendo os nutrientes que precisam e o metabolismo deles não funciona bem. Então fica muito difícil para qualquer coisa funcionar. De novo, o intestino é o primeiro desafio.
Porque tantas crianças estão com o intestino doentes e quais são os problemas que surgem depois que o primeiro insulto acontece e como você examina e trata os problemas do intestino?

R - A habilidade de absorver os ingredientes, nós aprendemos através dos exames que eu enumerei. Se eles tem deficiência de amino ácidos e muitos deles tem baixo amino ácidos, nós sabemos que há algo errado no intestino. Geralmente é uma enorme inflamação que impede a absorção dos nutrientes que são necessários. Muitas das coisas que fazemos com estes exames iniciais são:
pelo exame de fezes podemos dar a eles os probióticos apropriados, que são as boas bactérias, que tratam de retirar as ruins. Checamos o exame orgânico da urina para ver se tem fungos e/our clostridia, e quando necessário damos anti-fungicos e medicamentos. E muitas destas crianças precisam de medicamentos para fungos. Se eles ainda nao foram tratados e não estão em uma dieta excelente tem infecção fungica. Se voce tem infecção fungica, parasitas, que mantém o intestino inflamado isso causa diarréia ou contipção. Eu diria que 2 terços das crianças no espectro tem diarréia causada pelos fungus e um terço tem constipação, e ocasionalmente teremos crianças com fezes normais
aparentemente e sem diarréia ou constipação e mesmo assim eles tem fungus nas partes mais profundas e a parte baixa do intestino irá formar as fezes. Então não se pode dizer que se as fezes são normais a criança não tem fungos ou infecção do clostridium. Mas eu diria que geralmente estes dois patógenos causam diarréia, constipação, gases, distensão abdominal e mal estar geral.
Infecções fungicas ou fungos causam comportamentos anormais?

Oh, sim. Quando as crianças estão bem e chega a época de festas e dão a eles doces e coisas que não deveriam, nós vemos regressão.
Geralmente começa com uma infecção fungica. Eles dão risadas sem razão aparente, eles tem movimentos repetitivos, ficam irritados, quebram coisas, e se sentem mal. Então, definitivamente comportamento e problemas do intestino estão relacionados.
Existem muitas crianças com metabolismo anormal e como você examina e trata isso?

R - Eu diria que todas as crianças tem anormalidades no sistema metabólico e tratar estas anormalidades foi uma das mais importantes coisas que descobrimos no último ano e meio. O Dr. James Neubrander foi o pioneiro a enfatizar quão importante era dar a estas crianças as injeções de metilcobalamina e a melhor forma de fazer isso. Uma das coisas que nossos cientistas mostraram é que o dano no intestino destes pequenos afeta a química do folato no cérebro deles e destrói a habilidade deles obterem a Vitamina B-12 chamada metilcobalamina, ou MB-12. Esta é a única forma que pode entrar no sistema nervoso central e é melhor quando injetada. Pode-se administrar via oral ou transdérmica, mas realmente estas crianças tem um problema metabólico tão grande no ciclo do folato que para muitos deles só mesmo a injeção é que vai ajudar. Milhares de pais estão dando esta injeção eles mesmos, é uma coisa que as crianças respondem rápido. Dr. Neubrander reporta que 85 a 90% respondem positivamente a metilcolamida (as vezes podem ter algum efeito colateral); uma química equilibrada efetiva é essencial para um funcionamento apropriado do cérebro.
Como você determina a acumulação tóxica e como você trata este problema?

R - Nós acreditamos que a maioria das crianças tem acumulação de toxinas porque eles não tem um sistema de glutationa normal. Muitas das coisas que eu falei, como vacinas, toxinas, afeta a glutationa que é o meio que o corpo tem para detoxificar ele mesmo. Então para testar as toxinas eu peço 3 exames. O RBC elementos/minerais, o teste do cabelo, e eu peço o Immunosciences Metalotioneína (metilação) estes testes mostram quão problemático são as toxinas para esta criança. A maioria não está excretando nada do mercúrio o que é uma real indicação que estão retendo metais. Dr. Amy Holmes, Mark Blaxill e Dr. James Adams fizeram um estudo nos cabelos de bebês novinhos e a
diferença em autistas e neurotípico e a excreção do mercurio é muito diferente. As crianças no espectro não tem a habilidade para excretar mercúrio; eles retêm e acumulam o mesmo. Eu faço os exames e preparo as crianças primeiro cuidando do intestino, e tendo a certeza que seus corpos tem os nutrientes em niveis saudáveis, aí eu estou pronta pra começar a remoção dos metais. No entanto, alguns médicos dizem que a remoção do mercúrio é absolutamente prioritário, e até acreditam que deve ser feito antes mesmo de tratar do intestino. Eu não concordo com isso. Eu acho que colocar a criança no processo de quelação sem tratar do intestino e sem a reposição dos nutrientes pode provocar stress no corpinho já doente.
Aí tentamos repor a glutationa o que acontece com as reposições que estamos dando a eles com os nutrientes da B-12. Nós temos um agente desentoxificante mais suave que é o creme allathiamine, chamado de TTFD. Quando as crianças são bem pequenas e eu consigo curar o intestino e colocar o sistema metabólico em ordem alguns se recuperam apenas usando TTFD. Eu receito este creme para TODOS os meus pacientes. Mesmo os que estão usando agentes queladores. Dr. Derrick Lonsdale fez um estudo mostrando que TTFD é um desentoxicante. Ele é “fraco”, ele não vai e pega os metais como os agentes fortes fazem como o DMSA ou DMPS, mas sempre começo com o TTFD porque é um creme e agora foi feito numa fórmula chamada Authia e os pais podem comprar pela internet é seguro e não é necessário exames antes de usá-lo. Os pais podem aplicar este creme 2 x por dia para começar a remoção do arsênico, cádmio, alumínio, e eventualmente mercúrio também nenhuma ordem particular. Entretanto, nós geralmente não confiamos no TTFD para a quelação total, mas é um bom lugar para começar.
Ok. Você falou sobre reposição da glutationa e uso do TTFD, ou Authia. Você também falou do DMSA. Você poderia descrever outros tipos de queladores, e os testes necessários para monitorar durante o processo de quelação e os suplementos nutricionais adicionais para ajudar antes e durante a quelação?

R - Sim. Antes da quelação, além dos fatores que eu já citei como o tratamento do intestino, a suplementação dos nutrientes, sempre preciso de um teste básico para saber se as enzimas do fígado estão ok a também antes de começar checamos para que os níveis dos minerais especialmente o zinco, esteja em um nivel bom. Quelação da maneira que fazemos é segura. Eu nunca tive nenhum problema médico com DMSA, só é ruim que DMSA da apoio a infecção fungica, os fungos amam todas as fórmulas contendo enxofre, e com DMSA temos que cuidar para não haver super crescimento de fungos. Antes que eu tivesse todo o conhecimento em relação as dietas e de saber que não poderiam comer açúcar, a quelação descarrilhava uma infecção maciça dos fungos–onde a criança ficava doente. Nós tínhamos que parar a quelação para curar o intestino outra vez, tratar com antifungos e depois que a criança estivesse estável começavamos a quelar.
O DMSA é aprovado pela FDA para envenenamento com chumbo. Uma vez que a droga é aprovada nós médicos temos o direito de usá-las para outras coisas aprovadas que nós achamos que seja apropriado. Apesar de ser aprovado para remoção de chumbo, nós usamos DMSA para remoção do mercúrio. Também é usado para remoção de chumbo, é um quelador excelente para chumbo e para mercúrio. Este é o quelador que os DAN (Derrote o Autismo Agora) recomendam mais e nós usamos isso com muito cuidado. A única maneira de realmente testar o envenenamento por mercúrio é o que nós chamamos de teste de desafio. Nós damos uma dose de DMSA oral baseados no peso da criança e coletamos a urina antes e depois do DMSA para fazer uma comparação. Este é o único teste definitivo, podemos ter bases com outros testes mas o que nos dará a certeza de quão grande é o problema, é o teste de desafio. Então nós fazemos o teste para mostrar que a criança está de fato contaminada pelo mercúrio, mas nem sempre é essencial a não ser que os pais queiram saber com certeza. Aí começamos o processo de quelação e nós usamos a seguinte fórmula, com o DMSA é: usa-se por 3 dias e não se usa por 11 dias. Por 3 dias usamos a dose que é relativa ao seu peso em doses divididas. Alguns dizem a cada 4 horas ou a cada 8 horas para crianças muito pequenas. Minha tendência é usar com mais frequência doses menores a cada 4 horas um fim de semana sim e outro não. E para crianças maiores geralmente o intestino deles já está melhor e podemos dar doses maiores a cada 8 horas, 3 dias usa-se 11 dias não se usa. Para dar tempo pro corpo repor os minerais.
Existe um outro forte quelador, DMPS.
Diferente do DMSA, esta droga não é aprovada pelo FDA, mas podemos usá-lo numa fórmula, mandando manipular através de uma prescrição médica.
O DMPS é aprovado na Europa por mais de 50 anos, é utilizado por lá e considerado um quelador melhor que o DMSA. Ele não fortalece os fungos da forma que o DMSA faz. Na conferência do Autism One no ano passado, Dr. Rashid Buttar mostrou um método de utilização do DMPS de forma transdérmica e ele elaborou uma fórmula que inclui glutationa e DMPS. Ele utiliza um protocolo onde a fórmula é aplicada em forma de gotas ou creme em dias alternados. As gotas novamente são ministradas de acordo com o peso da criança. Esse é um método não invasivo e muito fácil de fazer quelação em crianças.
A suplementação de minerais é muito importante tanto na utilização de DMSA ou DMPS. O zinco é muito importante. Para a utilização do DMPS, o zinco e o magnésio são os mais importantes. Então o protocolo deve ser bastante observado e os minerais cuidadosamente monitorados para que a criança não fique desmineralizada.
E é feita a monitoração regularmente, correto?

R - Sim. Antes que nós façamos qualquer coisa, nós verificamos as enzimas do fígado, o hemograma (CBC), o ferro, os elementos de RBC, e estes testes são necessários regularmente cada dois ou três meses durante todo o processo de quelação; o Dr. Buttar sugere o teste dos elementos do cabelo todas as vezes que você testar as outras por “medida de segurança.”
E quanto tempo deve uma criança estar em suplementação de nutrientes antes de começar a quelação?

R - Cada criança é única. Depende de quão danificado estão; pode ser semanas ou meses. O teste do ácido orgânico é maravilhoso para ver os níveis, e um painel de vitaminas para ver quais as necessidades da criança. E naturalmente se a criança tem uma boa dieta, ou se já estão adiantados no tratamento, podemos começar mais rapidamente. Apesar de que o Dr. Buttar no início disse que tudo que nós necessitamos é retirar o mercúrio do organismo, alguns pais que cometeram o erro de não seguir a dieta terminaram com algumas crianças muito doentes. Então, ele mesmo dirá, “se você estiver já em uma dieta, continue nela.” O Dr. Buttar também recomenda que todas as crianças tomem as injeções MB-12 junto com a quelação. Nós somos afortunados se nós pudermos começar o tratamento desde os 2 anos e meio ou 3 anos. Porque nós aprendemos que as crianças mais novas melhoram muito mais rápido do que as mais velhas que infelizmente já estão envenenados por mais tempo. Mas o que nós acreditamos que seja o melhor é seguir uma dieta, monitorando com muito cuidado com testes de sangue para se certificar que os minerais estão ok, e dando-lhes os agentes queladores que nós escolhermos regularmente até que se recuperarem.
Dr. McCandless, existem categorias diferentes de anormalidades imunes e autoimunes que estas crianças podem ter. O que podem causá-las?

R - Frequentemente há processos autoimunes nos cérebros das crianças no Espectro Autista – Dr. VK Singh já realizou alguns extensivos estudos mostrando que 80 a 85% das crianças têm processos autoimunes no cérebro. No painel viral que eu faço, nós verificamos os anticorpos básicos da proteína de mielina, e nós vemos que os níveis virais e os processos auto-imunes são um aspecto extremamente importante do autismo. Os vírus do sarampo (vacina) que podem estar vivo nos intestinos destas crianças são extremamente difíceis de
tratar. Algumas crianças tem autoimunidade severa que necessitam IVIG, ou tratamento com immunoglobulina intravenosa, embora somente uns 30% deles respondem ao tratamento. A coisa mais importante é conseguir colocar seus intestinos em boas condições, proporcionar equilíbrio metabólico, retirar os metais, e tratar vírus óbvios com os medicamentos anti-virais. Por falar nisso, todos os meus pacientes tomam Lauricidin que é um antiviral natural e ajuda o intestino. É um anti-viral natural, anti-bacterial, anti-fungal, não tóxico e eficaz. Na minha opinião esta é uma coisa muito importante que os pais podem fazer sozinhos. Podem comprar pela internet www.lauricidin.com E se a criança não puder engolir estes comprimidos com sabor ruim, pais podem comprar a marca Ecological Formulas que são cápsulas do monolaurin. Este é um bom antivirus e os antivirus ajudam o processo autoimune. E se as crianças tem grande quantidades de vírus infestados, como os vírus do herpes, então eu receito antivirus como Valtrex ou Famvir por um longo período de tempo. O antivírus não é um tratamento que você faz apenas por uma semana ou 3 semanas como você faz com o fungo. Com os antivirus, geralmente você tem que tratar por meses até que os níveis começem a baixar.
Você já falou sobre isso mas qual é a importancia dos suplementos? Tenho a impressão que a doutora pensa que sao vitais. E o que acontece quando há restrição de minerais ou de probióticos?

R - Eu penso que será devastador para nossa população. Eu penso que os nutrientes são os tratamentos e que estes são acessíveis aos pais. Os Pais podem descobrir quais os que seus filhos precisam e algumas companhias que compõem as fórmulas cobrem os principais para muita das crianças. Eu prefiro usar nutrientes individuais quando eu começo a trabalhar com a criança, porque usando um múltiplo, você pode não saber o que a criança está reagindo.
Eu dou os nutrientes individuais sempre quando começo o tratamento e somente depois que eles estão indo muito bem é que eu passo para as multivitaminas. Porém muitos pais não podem pagar pelo número extensivo de testes que estou falando, então eles devem colocar suas crianças no multivitaminas. Super NuThera da Kirkman e Brainchild são excelentes multivitaminas. A Dr. Mary Megson tem algumas múltiplas vitaminas excelentes do Spectrum Biogenics. Se os pais puderem começar testando, e dar somente um por dia eu acredito que é o melhor no começo assim os pais saberão o que sua criança necessita e o que responde. Estas crianças são tão únicas e tão sensíveis, que dando um múltiplo, se a criança tiver uma reação nós não saberemos o que é no múltiplo que está causando esta reação. Mas ainda é muito melhor do que nada se você não puder pagar tantos testes. E quando você me perguntou antes o que é a primeira coisa quenós fazemos, nós tiramos tudo o que não é bom da dieta deles e também colocamos eles numa multivitamina até que você possa encontrar um médico que indique os testes que sua crianca como única necessita.
A Sra. mencionou várias opções de tratamento. Quais são as mais recentes opções de tratamento que foram adicionadas aos vários protocolos? A Sra. mencionou o Authia e eu acho que tem algo chamado NDF. Qual é a mais recente opção de tratamento?
R - A mais recente opção de tratamento e bastante eficaz são as injeções de metilcobalamina.
E Dr. Neubrander já trabalhou com milhares de pessoas até agora. Quando as crianças eram levadas até à ele, logo começava a ministrá-las a metilcobalamina enquanto ele fazia outros exames para verificar outros ingredientes que ela necessitava, só para ver os efeitos que a metilcobalamina lhes trazia. Ele e todos nós tivemos algumas histórias surpreendentes sobre os muitos efeitos da metil em muitas crianças. Então eu diria, um dos benefícios mais recentes e poderosos atualmente que nós temos, são as injeções de metilcobalamida e eu seguramente recomendo que todos considerem a possibilidade de utilizá-la e procurem um médico que possa recomendá-la, pois ela é manipulada por algumas farmácias. Eu também acho que AUTHIA, que é uma forma muito suave e segura de quelação, também seja muito importante. A aplicação de DMPS transdérmica utilizada pelo Dr. Buttar, é outra recente descoberta importante e eu acredito que o trabalho da Dra. Jill James mostrando o poder e o impacto dos nutrientes para ajudar o ciclo do folato, também é outro quesito importante. Nós sabemos agora que combinando o ácido folínico com a metilcobalamina e algumas vezes o TMG é provavelmente uma das melhores coisas que possamos fazer por todas as nossas crianças. Existem outras formas de ácido folínico ou ácido fólico que podem ajudar nossas crianças, mas 85% delas irão responder bem a combinação de metilcobalamina com ácido folínico.
Dra McCandless , a senhora se referiu a isto antes: As crianças podem apresentar períodos de regressão durante os tratamentos?

R - Sim e eu acredito que a causa primária das regressões seja a transgressão da dieta – onde eles recebem alguma quantidade de farinha, leite ou açúcar e desenvolvem uma infecção fungica. Quase todas as regressões são causadas por uma infecção intestinal, onde ocorre uma infecção por fungos, clostridium ou ambos. As toxinas fungicas causam distúrbios e problemas de absorção e esta é
provavelmente a principal causa. Ocasionalmente pode ocorrer por crianças que são sensíveis a morte dos fungos, toxinas domésticas, exposição a roupas de cama com antimônio - eu aconselho todos os pais a lavarem todas as roupas novas antes de colocar em contato com a pele por causa do antimônio que é colocado para retardar acidentes por fogo. Dessa forma algumas vezes as regressões são causadas por exposição a ambientes tóxicos ou ao fornecimento de alimentos que causam reação – causando sobrecrescimento de fungos ou clostridium.
Estas regressões realmente tiram do rumo – temos que parar tudo e tratar a causa primária.
Existe alguma relação entre a morte dos fungos e reações a isto?

R - Sim. Fungos criam toxinas incríveis e quando tratamos a criança existe uma “reação à morte “. Mas nunca tivemos uma criança que não superasse esta fase. Apesar de alguns pais darem carvão ativado para neutralizar algumas das toxinas, esta reação é parte do tratamento. De certa forma é um bom sinal ainda que seja quase insuportável passar por ela. Mostra que você ainda tem muitos fungos lá e que está matando todos.

Dra. McCandless, quanta esperança a senhora pode oferecer para pais de crianças com 6, 9, ou 12 anos de idade?

R - Bom, esta é uma pergunta muito importante. Não há dúvidas que quanto mais cedo começarmos os tratamentos, mais fácil a melhora e mais rápido será a resposta deles ao tratamento. Mas eu diria que há muita esperança para qualquer um, até para os adultos. E eu trato os adultos exatamente da mesma maneira que eu trato das crianças – não importa a idade do paciente. Eu peço todos os testes, trato do intestino, corrijo as deficiências, nos livramos das toxinas e trato os vírus. E nós vemos coisas maravilhosas acontecerem.
Nós não podemos realmente prometer. Eu as vezes quase posso prometer que se eu começar atratar uma criança bem novinha, eu diria a maioria das vezes eu tenho eles recuperados antes deles entrarem na escola. Eu não posso dizer o mesmo para uma criança mais velha. Minha neta tem 11 anos agora. Ela ainda tem difculdades porque eu não começei todos estes tratamentos - eu demorei um longo tempo para realmente encontrar todas estas possibilidades.
Eu aprendi que tudo isso e nesta sequência precisava ser feito. Mas ela continua a melhorar e é sempre recompensador fazer este esforço Hercúleo dando tudo que possamos para conseguirmos o melhor possível. E ainda que não possamos sempre prometer que seremos capazes de trazê-los de volta, podemos prometer sempre que os deixaremos muito melhores. Isto é justificado pelo fato de que se uma criança está doente e seu intestino está inflamado de modo que eles não podem se alimentar – nós devemos ajudá-lo não importa como. Então sim, sempre há esperança e nós nunca paramos de tentar.
A senhora poderia por favor nos dar um resumo de qual seria a melhor ordem, na sua opinião, para tratar-mos dos problemas psicológicos?

R - Sim. Eu diria que a primeira coisa é fazer uma dieta restrita. E algumas crianças que não respondem, mesmo que os pais sejam muito conscientes a respeito da dieta livre de caseína e livre de glúten, talvez necessitem de uma dieta ainda mais restritiva, a dieta dos Carboidratos Especifícos.
Esta ja mudou o nível do autismo de algumas crianças com intestinos muito problemáticos e algumas pessoas são realmente proponentes da dieta. Então eu repito mais uma vez que a primeira tarefa que nossas crianças tem é realmente uma dieta restritiva e consciente. Se possível, eu sugiro que a família toda faça a mesma dieta. Ë mais saudável para todos , e se outras crianças estiverem comendo pizza e sorvete na frente da criança com autismo seria cruel porque todos nós gostamos destas comidas. Eu também sugiro que os pais não gastem o seu dinheiro com exames se não forem capazes de dar uma dieta restritiva a suas crianças. Vale a pena experimentar e colocar a criança numa dieta restritiva.
O segundo passo, é dar as vitaminas, enzimas e probióticos que eles precisam para ajudar o intestino a recuperar-se e para ajudar na nutrição.
Terceiro, evite toxinas, faça a quelação para se livrar das toxinas que estão acumuladas no corpo, mantenha o corpo saudável enquanto você está fazendo isso. E ai se for necessário, nós vamos investigar a situação viral e descobrimos que as vezes eles precisam de um antivírus.
Este é o meu trajeto de recuperação: a dieta restrita, tratar o intestino, dar os nutrientes, balancear o metabolismo, desentoxicar, e medicação contra vírus se necessário.
Qual é a mais importante mensagem que você gostaria de deixar para os pais com uma criança pequena que recentemente foi diagnosticada ou para os pais de uma criança mais velha que recem começa a jornada do tratamento biomédico?

R - Eu acho que devem manter uma atitude positiva em relação as restrições que serão feitas e aos esforços que serão feitos – é extremamente difícil para os pais mudarem seus hábitos alimentares – e mudarem suas vidas completamente – para evitar que a criança seja envenenada, mas é extremamente necessário. Mas se eu puder, ressalto para os pais que não será para sempre, é agora para que a criança melhore, fique bem, porque eles são crianças medicamente doentes. O intestino deles precisa ser tratado. Nós temos que reconstruir sua saúde e seu cérebro e mantê-los saudáveis. Então, eu diria que o mais importante é estar disposto a fazer a isso, fazer o que for necessário para curar o intestino, fazer a dieta – é um trabalho duro, mas que vale a pena. Depois disso as outras coisas são mais fáceis e virão naturalmente.

Gostaríamos que a senhora reinterasse os 11 exames necessários e que foram falados anteriormente.

R - Claro, e eu sugiro que você leve esta lista com você no médico e tente encontrar um médico que esteja disposto a pedir estes exames, desde que você possa pagar por eles. Não são baratos e o seguro médico não vai ajudar muito com os exames, mas deixe eu dar a lista que eu peço quando avalio uma criança com autismo:
1) O IgG teste de Hipersensibilidade à 90 alimentos .Estas não são alergias verdadeiras no sentido que você não terá uma reação como um choque anafilático a penicilina, ovo, frutos do mar ou algo assim. O intestino desenvolve hipersensibilidade se a criança come as mesmas coisas todos os dias. O intestino não gosta disso, ele gosta de variedades.
2) Elementos do cabelo que checa toxicidade – para verificar o que as toxinas fazem aos minerais do corpo (não peça o teste de tóxicos)
3) An
álise de Fezes com parasitológico. Sempre inclua um exame de parasitas, porque estas crianças colocam tudo na boca e muitos deles tem parasitas que precisam ser tratados.
4)Análise de 40 aminoácidos. Os peptídeos são degradados em aminoácidos que são precursores dos neurotransmissores cerebrais e regulam o humor os neurotransmissores comportamentais e a função cerebral.
5) A Homocisteína é um importante marcador da metilação e do ciclo do folato.
6) O Eritrograma e o teste de Minerais nos dão importantes indicações de toxinas e nível de minerais dentro das células..
7) Painel de Vitaminas. Serve para checar os níveis de Vitamina A, E, beta caroteno e etc. Precisamos repô-los a níveis antioxidante..
Análise de ácidos Graxos. A maioria das crianças tem níveis baixos de Omega 3 e 6. Nós não queremos as gorduras ruins. Não frite as comidas, não deixe sua criança comer salgadinhos. Todos são fritos.
A gordura que vem nos salgadinhos envolve a membrana celular e os nutrientes não conseguem entrar na célula. Corte os salgadinhos, corte o açúcar.
9) Dosagem de Ácidos Orgânicos na urina da a maioria das informações. Isto irá dizer quando a criança tem infecção por fungos, clostridium e irá fornecer indicações da maioria dos defeitos metabólicos e dos nutrientes que serão necessários.
10) Painel Imunológico e Viral. É importante checar as imunoglobulinas, peptideos streptocócicos , gliadina, caseina, anticorpos à fibrilarina( que indica que algumas crianças são alérgicas ao mercúrio) dipeptildipeptidase (dá uma indicação se seu filho necessita de enzimas), proteínas anti mielina, anticorpos anti- neurofilamentos (indicador de doença auto immune) Metalotionina celular , atividade das celulas NK, Anticorpo contra sarampo, e pesquisa antiviral completa – varicela , citomegalovirus ,Epstein Barr, e Herpes Vírus Tipo 1 , 2 e 6.
11) Exames que são feitos em quaisquer laboratórios e tem cobertura : hemograma, bioquímica completa, dosagem de ferro e hormônios tiroideanos.
<!--[if !supportLineBreakNewLine]-->
<!--[endif]-->
Nota daDra. McCandless

Os testes mencionados acima são para uma completa avaliação inicial. Seis dos testes acima estão incluídos no ionograma completo da Metametrix, e como um painel você economiza e obtém maiores informações. Porém, se os pais não tem condições financeiras e não podem fazer todos os exames de uma vez, abaixo eu sugiro os exames para a maioria das crianças em ordem de prioridade e por categoria.
Pode haver casos onde homocisteína, painel de vitaminas, e análise de ácidos graxos são importantes no começo, mas geralmente podemos esperar até a próxima bateria de testes para determinar o seu programa de nutrientes.

1) Análise urinária dos ácidos orgânicos
2) Hemograma, bioquímica e hormônios tireoideanos
3) Análise completa das fezes
4) análise de aminoácidos (40 ao inves 20) Quando já estiverem com a dieta restritiva
5) Alergia Alimentar -  teste de hipersensibilaidade alimentar IgG para 93 alimentos
Quando terminar a quelação
6) Eritrograma ( não hemograma completo)
7) Análise do Cabelo ( não toxicológico)
Imunotestes de Metalotionina intracelular
Teste imunologicos e virais
Para maiores informações nestes e em outros tópicos, incluindo teorias das causas, pesquisas atuais com múltiplas referências e adicionais formas de tratamento, por favor veja: Children with Starving Brains, www.starvingbrains.com.
Para ver a listagem completa dos exames listados nesse artigo, por favor visite: http://www.autismoinfantil.com.br ou ligue para 71-3362-5310

Postar um comentário

NOSSO JORNAL

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!
PROGRAMA ESTRUTURADO, INDIVIDUALIZADO. ATENDIMENTO DOMICILIAR.

Postagens populares

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget

GOOGLE ANALÍTICO