AUTISMO EM GOIÂNIA

Seguidores

PALAVRAS DA FONOAUDIÓLOGA E MÃE MARILUCE

Eu não vou mudar meu filho porque é autista; eu prefiro mudar o mundo, e fazer um mundo melhor; pois é mais fácil meu filho entender o mundo, do que o mundo entender meu filho.

ESTOU SEMPRE NA BUSCA DE CONHECIMENTOS PARA AJUDAR MEU FILHO E PACIENTES. NÃO SOU ADEPTA DE NENHUM MÉTODO ESPECÍFICO, POIS PREFIRO ACREDITAR NOS SINAIS QUE CADA CRIANÇA DEMONSTRA. O MAIS IMPORTANTE É DEIXÁ-LOS SEREM CRIANÇAS, ACEITAR E AMAR O JEITO DIFERENTE DE SER DE CADA UM, POIS AFINAL; CADA CASO É UM CASO E PRECISAMOS RESPEITAR ESSAS DIFERENÇAS. COMPARAÇÃO? NÃO FAÇO NENHUMA. ISSO É SOFRIMENTO. MEU FILHO É ÚNICO, ASSIM COMO CADA PACIENTE.
SEMPRE REPASSO PARA OS PAIS - INFORMAÇÕES, ESTRATÉGIAS, ACOMODAÇÕES E PEÇO GENTILMENTE QUE "ESTUDEM" E NÃO FIQUEM SE LUDIBRIANDO COM "ESTÓRIAS" FANTASIOSAS DA INTERNET. PREFIRO VIVER O DIA APÓS DIA COM A CERTEZA DE QUE FAÇO O MELHOR PARA MEU FILHO E PACIENTES E QUE POSSO CONTAR COM OS MELHORES TERAPEUTAS - OS PAIS.

Por Mariluce Caetano Barbosa




COMO DEVO LIDAR COM MEU FILHO AUTISTA?

Comece por você, se reeduque, pois daqui pra frente seu mundo será totalmente diferente de tudo o que conheceu até agora. Se reeducar quer dizer: fale pouco, frases curtas e claras; aprenda a gostar de musicas que antes não ouviria; aprenda a ceder, sem se entregar; esqueça os preconceitos, seus ou dos outros, transcenda a coisas tão pequenas. Aprenda a ouvir sem que seja necessário palavras; aprenda a dar carinho sem esperar reciprocidade; aprenda a enxergar beleza onde ninguém vê coisa alguma; aprenda a valorizar os mínimos gestos. Aprenda a ser tradutora desse mundo tão caótico para ele, e você também terá de aprender a traduzir sentimentos, um exemplo disso: "nossa, meu filho tá tão agressivo", tradução: ele se sente frustrado e não sabe lidar com isso, ou está triste, ou apenas não sabe te dizer que ele não quer mais te ver chorando por ele.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

ABA - IMITAÇÃO. ABA IMITAÇÃO NÃO VERBAL. COMO ENSINAR A CRIANÇA AUTISTA A IMITAR DURANTE UMA BRINCADEIRA?


ABA: Imitar construção com blocos

Objetivos do programa:
Aprender a utilizar brinquedos de forma adequada
Aumentar as habilidades motoras/visuais de padronização
Aumentar a atenção e memória
Estabelecer comportamento de auto-controle (não agarrando blocos, jogando)
Aumentar as habilidades motoras finas
Aprender a olhar para os materiais das tarefas e ações do professor
Aprender a esperar a vez

Este programa pode ser feito com qualquer tipo de materiais de construção, incluindo blocos, Legos ou formas cortadas de papel colorido. O adulto se senta na mesa em frente a criança. Cada pessoa tem seus próprios materiais na mesa. O adulto vai criar uma estrutura usando seus blocos no meio da mesa. A criança vai copiar o mesmo projeto utilizando seus blocos na mesa em frente a ela. Ela deve copiar da mesma forma que se copiaria um diagrama. Use blocos que têm várias formas e cores. Comece com duas ou três cubos/blocos e aumente gradualmente o número de blocos nas construções.

Uma vez que as estruturas são construídas, elas devem ser incorporadas em brincadeiras (dirigindo um carro debaixo de uma ponte). Vários tipos de blocos devem ser usados. Bonecos e os animais podem ser incorporados na estrutura.

Utilize orientação física, demonstração verbal, apontar ou uma combinação. Gradualmente elimine as induções de acerto para que a criança realize de forma independente. Como um alerta, no início, a criança deve ter apenas os blocos que irá precisar. Posteriormente, deve haver blocos adicionais que não serão utilizados na construção.

Para iniciar este programa, a criança já deve ter aprendido três itens da fase de imitação não-verbal.

Construção de Torre: fornecer blocos e dizer "construir uma torre". Começar com uma torre de dois blocos e, gradualmente, aumentar o tamanho da torre. Quatro torres de blocos são esperados em uma idade de 1 ano e 6 meses, torre de seis blocos aos dois anos, torre de oito blocos aos 2 anos e 6 meses. 

 A grande dificuldade do Luís era auto-controle e seguir comandos, este prorama de imitação com blocos também ajudou nestes aspectos. Para crianças com muita dificuldade de auto-controle e "do contra", eu recomendo a leitura destes dois programas também:




Discriminar formas coloridas: Coloque dois blocos diferentes espaçados cerca de 10 centímetros de distância (quadrado vermelho e um longo retângulo verde). Dê à criança um bloco que corresponde a um dos dois e diga-lhe para "colocar com mesma". Isto é para verificar se ela pode discriminar entre os blocos.

 passos seqüenciais: Coloque abaixo um pedaço de papel para definir a área de construção para cada pessoa. O professor completa um passo da construção e aguarda criança para copiar a passo. proceder para o próximo passo da construção e esperar por criança para copiar a passo. Prossiga para a próxima etapa da construção. Anote o número de etapas concluídas eo número de solicitações. Estabelecer imitação correta de todos os posicionamentos possíveis, começando com o mais fácil e progredindo para mais difícil.
Em cima
Direito vs esquerdo
Vs da frente para trás
Orientação do bloco

Certifique-se de randomizar a forma ea cor do bloco usado de julgamento para julgamento e também para variar a colocação. O objectivo é estabelecer parâmetros imitação generalizada, não thatch desenhos específicos. passos seqüenciais: Coloque abaixo um pedaço de papel para definir a área de construção para cada pessoa. O professor completa um passo da construção e aguarda criança para copiar a passo. proceder para o próximo passo da construção e esperar por criança para copiar a passo. Prossiga para a próxima etapa da construção. Anote o número de etapas concluídas eo número de solicitações. Estabelecer imitação correta de todos os posicionamentos possíveis, começando com o mais fácil e progredindo para mais difícil.
Em cima
Direito vs esquerdo
Vs da frente para trás
Orientação do bloco

Certifique-se de randomizar a forma ea cor do bloco usado de julgamento para julgamento e também para variar a colocação. O objectivo é estabelecer parâmetros imitação generalizada, não thatch desenhos específicos.



Passos seqüenciais: Delimite a área de construção com um pedaço de papel diferente para cada pessoa. O adulto completa um passo da construção e aguarda a criança copiar esse passo. Siga para o próximo passo da construção e espere pela criança copiar a passo. Prossiga para a próxima etapa da construção. Anote o número de etapas concluídas e o número de solicitações. A criança deve estabelecer a imitação correta de todos os posicionamentos possíveis, começando com o mais fácil e progredindo para mais difícil.
Na frente vs atrás
Direito vs esquerdo
Orientação do bloco
Certifique-se de randomizar a forma e a cor do bloco usado de exercício para exercício e também variar a colocação. O objectivo é estabelecer parâmetros de imitação generalizada, não ensinar construções específicas.





Estrutura Pre-construída: O adulto completa a estrutura de modelo antes da criança começar sua estrutura. Se necessário, isto pode ser feito por trás de uma proteção para garantir que ela espera. Gradualmente aumente a complexidade.

 


Copiar padrões com blocos:
Horizontal
Vertical
Combinado horizontal e vertical
Adicionar frente / trás dimensão

Padrões foram trabalhados nesta fase, com meus filhos, com brinquedos específicos de padronização:

Copiar projetos à partir de figuras/fotos:






Criar estruturas específicas: mesa, cadeira, ponte, garagem, carro, avião, trem, casa, cama, veleiro, etc (uma construção de blocos que se parece com um item específico). Mais tarde, uma foto pode ser usada, junto com uma instrução verbal. Desaparecer a foto e a criança constrói o item com uma instrução verbal apenas. Você pode incorporar figuras em construções e deixar claro o que você construiu (deite uma figura na cama). Incorporar brincadeiras com as estruturas criadas (carro de passeio, colocar/tirar animais de um curral, etc)

Para mais idéias de como incentivar a brincadeira, leia aqui.
Para outras idéias de como ensinar imitação: Imitação não-verbal e Imitação Recíproca
Para ler sobre nossa experiência com o ABA, clique aqui.


Fonte: A work in progress - Ron Leaf & John Mc Eachin



Procedimento: O adulto demonstra uma ação e diz "faça isso". A criança deve espelhar a ação do adulto (se adulto usar a mão direita, a criança deve usar a mão esquerda). As fases começam com ações motoras grandes e óbvias e progride para movimentos mais sutis e refinados. A imitação envolvendo a manipulação de um objeto físico (soltar um bloco em um balde) ou que produza uma resposta sensorial (tocar um sino) são geralmente mais fáceis de aprender. Aquelas que envolvem partes do corpo que a criança não pode ver diretamente (cabeça, nariz) são mais difíceis.

Conforme a criança progride, a sugestão verbal vai ser generalizada para outras frases que têm o mesmo significado de "fazer isso" (fazer o que estou fazendo, me copiar, etc). Como etapa final, a ação será nomeada (bater palmas). Isto constrói a base de conhecimento para seguir instruções verbais. "Faça isso" é usado no início para estabelecer o conceito de imitação, uma habilidade essencial que fornece um meio não baseado na linguagem para ensinar uma variedade de outras habilidades.

Utilize orientação física para mover a criança através da ação. Retirando gradualmente a ajuda para um toque leve e, em seguida, um pequeno gesto. O olhar pode geralmente ser moldado ao mesmo tempo que esta habilidade está sendo ensinada.

Comece com itens que envolvem a manipulação de um objeto.Ensine cada movimento individual e isoladamente. Isto significa fazer tentativas repetidasde apenas um item sem qualquer outro objetivo em vista. Uma vez que a criança esteja realizando a ação com sucesso sem ser induzida, então coloque um ou mais itens em cada tentativa discreta como uma distração em potencial. Além disso, cada elemento tem de ser utilizado em mais do que uma maneira, de modo a construir a atenção e estabelecer uma discriminação. Por exemplo, algumas vezes você deve deixar cair o martelo no balde, ao invés de usá-lo para bater pinos. Uma vez que dois movimentos com cada objeto são imitados aleatoriamente, introduza um novo item. Como cada um é aprendido de forma isolada, então o movimento deve ser introduzido ao acaso, com todos os itens anteriormente ensinados.
Movimentos com objetos sugeridos (mas não limitados)
Colocar blocos em recipiente
Bater bloco na mesa
Torre com blocos
Brinquedos “pop up”
Tambor
Pandeiro
Colocar chapéu
Levar copo à boca
Globo de neve
Colocar óculos escuros
Empurrar carrinho
Fazer carrinhos baterem
Carregar / descarregar caminhão de areia
Tocar piano
Atender o telefone
Tocar sino
Misturar uma colher em uma tigela
Jogar saquinhos
Pentiar o cabelo
Pião
Puxar alavancas
Bater com palitos
Bater blocos
Ninar boneca
Soprar apito

Movimento motor grosso sem objeto. Iniciar quando a criança tenha dominado cinco itens da fase anterior. Escolha três itens da lista de movimentos motores de grande porte. Como cada um é ensinado separadamente, adicionar um item quando um movimento for masterizado. Sentar não deve ser sempre a resposta que segue ao ficar em pé. Por exemplo, você pode bater palmas com a criança em pé.
Movimentos sugeridos (mas não limitados)
Levante os braços
Bata as palmas
Toque o nariz
Massageie a barriga
Massageie a cabeça
Cubra as orelhas com as mãos
Toque o cotovelo
Toque os ombros
Toque de mesa com a mão
Braços na lateral
Acenar tchau
Tocar a boca
Colocar as mãos nos joelhos
Tocar os olhos
Tocar cada dedo
Levantar-se

Imitações longe da cadeira. Comece quando criança já aprendeu cinco itens da fase anterior. Ensinar as respostas que envolvem ir a um local afastado da cadeira, a realização de uma ação e voltar para a cadeira. A criança deve permanecer na cadeira até o adulto terminar de demonstrar a ação e voltar para a cadeira.
Movimentos sugeridos (mas não limitados)
Bata na porta
Marchar
Escrever numa lousa
Colocar um objeto numa gaveta
Ligar / desligar a luz
Carrinho descer uma rampa
Olhar pela janela
Colocar objeto na prateleira
Abrir / fechar gaveta
Jogar algo no lixo
Colocar uma boneca na cama

Imitar outra pessoa. Adulto indica alguém para a criança imitar dizendo "faça isso"

Ação motora fina. Uma vez que cinco ações motoras grandes são afacilmente imitadas, adicione ações motoras finas.
Movimentos sugeridos (mas não limitados)
Amasse a massinha de modela
Coloque o dedo no queixo
Coloque uma moeda num frasco
Faça o sinal de OK
Faça sinal de vitória
Apontar
Abrir a massinah de modelar com rolo
Tocar na boca
Tampar os ouvidos
Pressionar um botão
Polegares para cima
Girar o dedo

Nesta fase é também apropriado começar com imitação motora-oral.

Sequência. Uma vez que 10 imitações são aprendidas da motora grossa, a criança tem que seguir com você uma sequencia de movimentos. Varie os movimentos para manter o interesse, a atenção e promover a generalização. Comece com duas ou três sequencias e, em seguida, continue com cadeias mais longas. O objetivo é dar uma sugestão única verbal e adiar o reforço até que toda a sequencia seja concluída.

Imitação  com discriminação mais avançada. Uma vez que 10 imitações são aprendidas da motora grossa e cinco da fase motora fina, pode-se iniciar com distinções mais finas.
Exemplos de discriminação:
Levante um vs dois braços
Toque nariz com um dedo vs mão inteira
Abane tchau com a mão esquerda vs direita
Toque uma vez vs duas vezes
Aplaudir no alto vs aplaudir em baixo

Imitação  de movimento cruzado. Mão direita na perna esquerda, etc

Imitar a ação em vídeo. Estímulo visual presente e dizer para a criança "Faça isso"
Ação única
Ação de duas etapas (simultânea)
Ação de três etapas (simultânea)
Cadeia contínua
Congelar quadro de vídeo
Ação na foto

Fonte: A work in progress - Ron Leaf & John Mc Eachin

Wednesday, September 5, 2012


Treino para imitação recíproca

Como ensinar a criança com autismo a imitar durante uma brincadeira.

 
O treino de imitação recíproca é uma intervenção naturalista projetada para ensinar as crianças com autismo a imitar espontaneamente durante as interaçõesem uma brincadeira. O objetivo desta técnica é ensinar seu filho a imitar como o objetivo de interações sociais e, portanto, é mais importante a tentativa da criança em copiar suas ações do que o executar qualquer ação específica corretamente. A imitação recíproca pode ser implementada numa variedade de configurações de reprodução, bem como durante rotinas diárias. Esta técnica utiliza várias estratégias para ensinar habilidades de imitação. Como parte do programa de treinamento dos pais, sugere-se que você pratique essa intervenção em casa com seu filho por 20 minutos por dia.



 
Passo 1: Selecionar materiais

Apesar da imitação recíproca poder ser implementada durante uma variedade de atividades que não usam brinquedos, como no banho ou brincando na rua, os brinquedos são uma parte importante para ensinar habilidades de imitação. É importante escolher brinquedos que seu filho gosta de brincar. Brinquedos que podem ser usados ​​de muitas maneiras diferentes (como bolas, copos e recipientes, bonecos, etc) são melhores do que os brinquedos que têm apenas uma ou duas funções (como brinquedos de ferramentas mecânicas). Além disso, os brinquedos devem ser interessantes, mas não excessivamente absorvente d atenção, são melhores do que os brinquedos extremamente atrativos (com luzes, sons, que se mexem sozinhos) porque seu filho terá mais chances de prestar atenção em você, se ele ou ela não estiver muito absorvido pelos brinquedos. Tenha vários brinquedos diferentes disponíveis para que a criança possa selecionar o que ele ou ela está mais interessado, tenha sempre dois o mesmo brinquedo, para que seu filho possa ter um e você outro. Isto ajuda a promover imitação e permite que você imite o seu filho sem ter que tomar o brinquedo dele para fazer a sua ação. 

Brinquedos recomendados:
Xícaras de empilhamento 
Anéis de empilhamento 
Blocos
Bolas 
Tubos 
Slinkys 
Brinquedos sensoriais (feijão, miçangas, água)
Carros
Trens 
Bonecos
Miniatura de animais

Brinquedos de comidinha
Brinquedos musicais (tambores, pandeiros, maracás) 
Massinha de modelar 
Materiais de pintura
 
Passo 2: Imite o seu filho


A base da imitação recíproca depende em imitar todos os gestos do seu filho, vocalizações e ações com brinquedos. Imitando o seu filho promove-se a atenção compartilhada e a capacidade de resposta social em crianças com autismo. Também é posseivel estabelecer as bases para o ensino de imitação recíproca, porque a criança aprende que a imitação é uma interação de via dupla. Além disso, imitando a voz de seu filho ou vocalizações pré-verbais promove o uso da linguagem espontânea e vocalizações. As estratégias a seguir farão que o aprendizado de imitação seja mais eficaz. 

Esteja visível: Tenha certeza que você está sempre na linha de visão do seu filho. Sente-se de modo que você está cara a cara com seu filho, para que ele ou ela pode fazer contato visual com facilidade. Se seu filho tem dificuldade em ficar sentado, você vai precisar se deslocar para ficar cara a cara com seu filho.
É interessante que sejam feitas atividades que estimulem o olhar se a criança tiver muita dificuldade de sustentar o olhar. Para algumas idéias, acesse o link

Imite com brinquedos: Imite o que seu filho está fazendo com os brinquedos que ele ou ela escolhe para brincar. As crianças tornam-se muito mais conscientes na imitação se você tiver dois conjuntos do mesmo brinquedo. Desta forma, você pode imitar a brincadeira do seu filho ao mesmo tempo que ele está manipulando o brinquedo.
No início do processo de ensinar o Pedro a imitar, nós contávamos o número de vezes que ele olhava para nós neste momento de imitação para podermos nortear se a técnica estava funcionando. 

Imitar gestos / movimentos do corpo: Imite os gestos do seu filho e os movimentos corporais. Isso também irá ajudá-lo a perceber que você está imitando ele e que seu comportamento é significativo e pode influenciar a maneira como você age. Imitando gestos / movimentos corporais é especialmente útil quando o seu filho não está envolvido com um brinquedo. Por exemplo, se seu filho está vagando ao redor da sala, siga o mesmo caminho propositadamente, tentando permanecer frente a frente. As crianças normalmente acham este comportamento muito engraçado e gostam da interação.
Como o Pedro é uma criança em constante movimento, nós adicionamos ao seguir seus passos com brincadeiras de pegá-lo no colo, girar, fazê-lo"cair" no ar e pegá-lo, incentivando assim o olhar, pois os movimentos preferidos eram feitos somente após o contato visual expontâneo do Pedro. 

Imite vocalizações: Para crianças que são pré-verbais ou apenas começando a falar, é importante imitar todas as vocalizações e palavras do seu filho. Com uma criança verbal, recomenda-se que você só imite a linguagem que seja adequada ao contexto da brincadeira.Quando se utiliza esta técnica é importante estar visível para a criança e animado. 

Seja animado: Exagere a imitação dos gestos do seu filho, expressões faciais e as vocalizações para chamar a atenção para o fato de que você está imitando seu filho.Enquanto imitando o seu filho, você pode variar as imitações ligeiramente para mantê-las interessantes. Por exemplo, se a criança deixa cair um brinquedo no chão, sem prestar atenção ao brinquedo, você pode jogar o seu brinquedo no chão de uma forma exagerada.Além disso, você pode fazer uma pausa com um olhar expectante no meio da imitação para incentivar seu filho a iniciar que você continue a brincadeira. Use palavras como "Oh, oh", "Huhu", "Ai não", "1, 2 e já", efeitos sonoros e ofegantes como "dicas" ao seu filho para que ele perceba que você tem algo a compartilhar. 

Imite o comportamento adequado: Imitando o seu filho irá normalmente aumentar o comportamento que está sendo imitado. Portanto, quando imitar o seu filho, é importante decidir quais os comportamentos que você irá imitar. Para as crianças que apresentam pouco ou nenhuma brincadeira adequada, tente imitar todos os comportamentos adequados ou vocalização. Isto poderia incluir, jogar uma bola, olhar no espelho, balbuciar, etc NÃO imite os comportamentos que são perigosos ou agressivos, como bater ou quebrar brinquedos. Se o seu filho está produzindo comportamentos que você não quer ver o aumento você pode "imitar" esse comportamento porém modelando para algo mais apropriado. Por exemplo, se seu filho está sempre com um objeto na boca, você pode fingir comer um objeto semelhante, ou se seu filho está agitando as mãos para mostrar emoção você pode "imitar" a excitação, mas expressá-la batendo as mãos.Para crianças que têm a maioria das brincadeiras adequadas, tente imitar somente os comportamentos adequados.


Passo 3: Descreva sua brincadeira

Descreva o que você e seu filho estão fazendo para destacar que você está fazendo a mesma coisa. Isto deve parecer como um breve comentário ou locutor esportivo. Ao descrever sua brincadeira, estaja ciente de que o tipo de linguagem que você usa pode ter um grande impacto na compreensão do seu filho e na sua comunicação. As estratégias a seguir vão ajudar a estratégia de descrever a sua brincadeira mais eficaz.

Simplifique sua linguagem: Você deve usar uma linguagem que seja ligeiramente mais complexa que a atual linguagem do seu filho. Por exemplo, se seu filho não fala ainda, use palavras simples, se ele ou ela usa palavras simples, use 2-3 palavras por frase. Você pode também simplificar a sua linguagem deixando somente o que é excenciala (exemplo "bebê come" em vez de "você está dando comidinha ao bebê"

Fale devagar: diminua o seu ritmo de fala. O mais lento que você fala, mais seu filho será capaz de escolher as palavras e significados importantes. Mesmo que vcê faça somente um comentário de passagem, certifique-se de que você dá à criança uma chance de responder.Pause entre os comentários para dar ao seu filho tempo para processar a informação dita.

Coloque em evidência palavras importantes: As crianças muitas vezes têm dificuldade em reconhecer as palavras em frases importantes. Você pode ajudar o seu filho pegar o "significado" das palavras, fazendo uma pausa antes das palavras importantes, salientando-as (Olha, um .... COELHO)

Seja repetitivo: Use a mesma linguagem repetidamente. Você pode usar a mesma frase repetidamente (está descendo. está descendo) ou você pode repetir palavras específicas importantes (O carro está indo. Indo, indo. Indo rápido). 
Atenção: essa repetição da mesma frase é efetiva para descrever ações, quando ensinando seu filho a pedir, a se comunicar diretamente com você aproveitando a sua ecolalia, use frases distintas para não criar "coringas" de linguagem, ao invés de desenvolver a comunicação dinâmica. 

Expandir a linguagem do seu filho: Para expandir a linguagem do seu filho, imite sua fala  e em seguida, adicione mais informações. Ao adicionar mais palavras, você revisa e completa a fala do seu filho - sem correção direta. Por exemplo, se o seu filho diz "buh" você pode dizer "bola". Se o seu filho diz  "trem" que você poderia dizer "trem amarelo". Se o seu filho diz: "Empurro o carro" você pode dizer "Eu estou empurrando o carro". 

Passo 4: Imitação com objeto 

Para ensinar a imitação com objetos, você vai começar intercalando entre imitar seu filho e oferecer oportunidades para que seu filho imite você. O objetivo é conseguir um "jogo" social em que acontecem ciclos na interaçãoVocê estará fazendo a maior parte da imitação, do seu filho só será esperado uma imitação a cada um ou dois minutos. Para ajudar seu filho a aprender a imitar, você pode usar manipulação física e prêmios. Não exagere namanipulação física para não troná-lo passivo, pois o objetivo é q a criança seja ativa na interação. As estratégias a seguir vão tornar o ensino de imitação mais eficaz.

Modele ações com o mesmo brinquedo: Para aumentar a capacidade do seu filho em prestar atenção às suas ações e motivar-se a imitar, você deve modelar uma ação com o mesmo brinquedo que seu filho já está jbrincando. A cada minuto (em média), faça uma ação com um modelo duplicado do brinquedo que seu filho está envolvido. Certifique-se de que seu filho está te observando (fazendo contato visual ou observando suas ações) enuanto você modela as ações. Imitar seu filho deve ajudar a aumentar a atenção, mas você também pode chamar o nome do seu filho, ou bloquear a brncadeira dele para obter a atenção, se necessário. Além disso, é importante que a criança saiba que isso é algo que ele ou ela deve imitar, para isso certifique-se que sua ação é "exagerada" o suficiente para que seu filho note. Se seu filho não está envolvido com um brinquedo, você pode tentar criar o interesse no último brinquedo que ele estava brincando modelando uma ação com ele. 

Nomeie a ação: Quando você modelar a ação, o objetivo principal é que seu filho preste atenção e imite. No entanto, você quer que seu filho aprenda a imitá-lo espontaneamente, em vez de seguir um comando. Portanto, ao invés de dizer a seu filho para imitar (faça isso), você deve usar um "rótulo verbal" para descrever a açāo modelada ( bebê come). Desta forma, o seu filho vai aprender a imitar uma ação e falar sobre isso, e não apenas a executar uma açāo após um comando. As descrições verbais devem ser curtas, um pouco acima do nível de linguagem da criança, claras e enfatizadas, prestando atençāo em descrever a ação sem dar um comando. Por exemplo, ao modelar o rolar de uma bola, certifique-se seu filho está vendo você rolar a bola e com um gesto exagerado diga "rolar". Para ajudar seu filho a imitar em contextos multiplos, varie o que você diz ("Bata" uma vez e "boing" em outra ao modelar a mesma ação em diferentes momentos). Se seu filho tem muita dificuldade em prestar atenção ao que você está fazendo, você pode dizer o nome dele para obter a sua atenção em primeiro lugar, mas tente evitar fazer isso toda vez, ou o seu filho vai aprender a imitar apenas quando você diz o nome dele.

Modele ações que seu filho é susceptível a imitar: comece por ações que você acha que seu filho está naturalmente inclinado a querer imitar. Isso inclui ações que o seu filho já exerce por conta própria (ações familiares), bem como ações que estão ligeiramente acima do nível de desenvolvimento do seu filho. Se você modela ações que são muito avançados, seu filho tem menos probabilidade de entender a ação e imitar. Para decidir quais ações modelar, veja o que seu filho faz com os brinquedos e planeje ações similares. Se seu filho gosta de explorar os brinquedos batendo, jogando e soltando-os, modele este tipo de ações, bem como a de colocar um objeto no outro, colocar objetos em recipientes, empilhar, alinhar ou organizar os brinquedos de determinadas maneiras. Se o seu filho usa brinquedos mais comuns de forma adequada, como empurrar carros, colocar as pessoas em carros, jogar e pegar bolas, modele esses tipos de ações, bem como algumas ações básicas de imaginaçāo. As ações que você modela não tem que ser funcionais ou "adequadas", o objetivo é aumentar a motivação do seu filho a imitar o seu comportamento.

Modele a ação até três vezes antes de induzir o acerto (prompt): dê ao seu filho várias oportunidades para imitar a ação espontaneamente. Modele a ação com um rótulo verbal e aguarde 10 segundos o seu filho imitar. Se ele ou ela não imitar espontaneamente após 10 segundos, modele a mesma ação novamente com o mesmo rótulo verbal. Faça isso até três vezes. Se seu filho não imitar após o terceiro modelo, você pode dizer ao seu filho "faça assim" se ele ou ela responder a instruções verbais, caso contrário, fisicamente guie o seu filho a imitá-lo.

Elogie seu filho na imitaçāo: logo que a criança imitá-lo, faça elogios verbais e de afeição física se o seu filho gostar disso. O elogio deve ser mais intenso se o seu filho imitar você espontaneamente do que se você precisar guiar fisicamente a criança a imitar. É mais importante que seu filho tente imitar suas ações, em geral, do que executar exatamente uma ação específica, por isso não se esqueça de elogiar qualquer tentativa de imitação, mesmo se não for perfeita. Após seu filho imitar sua ação ou gesto, deixe-o brincar com os brinquedos que ele ou ela gosta por 1 minuto e entāo retome o treino de imitaçāo com seu filho. 

Passo 5: Aumente a complexidade e flexibilidade de imitação
 Depois que seu filho for capaz de imitar ações familiares de forma consistente com o brinquedo que ele ou ela está manipulando, você pode começar a se concentrar em aumentar a complexidade da brincadeira do seu filho modelando ações novas. Além disso, você pode aumentar a flexibilidade de seu filho em imitar ações novas modelando movimentos com brinquedos que seu filho não está brincando.

Ações novas como modelo: o objetivo de modelar ações inovadoras é para aumentar a complexidade das brincadeiras do seu filho. É importante continuar a modelar ações interessantes ou um pouco acima do nível de desenvolvimento em brincadeiras do seu filho. No entanto, você pode começar a aumentar a complexidade das ações que você modela. Em particular, você deve considerar a adição de elementos básicos de imaginação na brincadeira de seu filho. Certifique-se em continuar a modelar ações familiares para que a criança permanece motiva a imitar você.

Ações com brinquedos diferentes: Depois que seu filho está constantemente imitando uma série de ações, tanto familiares quanto novas, é o momento de aumentar a sua capacidade de imitar com os brinquedos que não sāo da preferência de seu filho. Ao fazer isso, é uma boa idéia começar modelando ações altamente motivadoras ou familiares com um brinquedo diferente do qual seu filho está entretido. Usando ações motivaras ou ações familiares, você aumenta a probabilidade de que o seu filho vai trocar a atençāo do brinquedo atual e mudar o foco para o brinquedo que você está brincando. Antes de modelar uma ação com um brinquedo diferente, certifique-se de que o brinquedo duplicado está na frente de seu filho para que ele ou ela possa encontrá-lo facilmente. Não mais do que a metade das ações para imitaçāo deve ser com um brinquedo diferente. Depois que seu filho for capaz de mudar para um brinquedo novo, você pode começar a modelar ações menos motivaras ou novas.

Passo 6: Imitação de Gestos 
Depois que seu filho está constantemente imitando ações com objetos (cerca de 50% das ações modeladas), você pode começar a ensiná-lo a imitar gestos. Imitação de gestos é ensinado usando as mesmas estratégias de imitação com objeto, no entanto, em vez de modelar uma ação com um brinquedo, modele um gesto que está diretamente relacionado com o brinquedo que seu filho está brincando. Por exemplo, se o seu filho está brincando com comida de brinquedo, você pode acariciar sua barriga para indicar que a comida tem um gosto bom. Como na imitação com objeto, você deve emparelhar o gesto modelado com um rótulo verbal relacionado ("Mmmmmm"). Você deve certificar-se de modelar gestos que podem ser fisicamente guiados (exemplo, gestos que envolvam as mãos da criança), de modo que você pode dar o suporte físico ao seu filho para completar o gesto, se ele ou ela não imitar espontaneamente. Os gestos modelados podem incluir gestos convencionais (acenar adeus, assoprar um beijo, acenar com a cabeça sim ou não), os gestos de atenção conjunta que envolvem um objeto (apontar para manifestar interesse, dar, mostrar), gestos descritivos (segurando os braços abertos para indicar "grande", com os dedos juntos para "pequeno"), e os gestos de pantomima (beber). Se o seu filho não está brincando com um brinquedo, você pode modelar uma ação com um objeto e então um gesto relacionado. Ao fazer isso, induza o seu filho a imitar o gesto.

Sugestões de Gestos
Gestos mais fáceis são aqueles que são mais comumente usados ​​e requerem menos habilidades motoras finas. Estas sugestões de gestos estão listados na ordem do mais fácil para o mais difícil.



Fonte: 
Reciprocal Imitation Training: Teaching children with autism to imitate during play
Brooke Ingersoll, PhD; Lewis & Clark College
Postar um comentário

NOSSO JORNAL

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!

ESSE É O NOSSO DIFERENCIAL!
PROGRAMA ESTRUTURADO, INDIVIDUALIZADO. ATENDIMENTO DOMICILIAR.

Postagens populares

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget

GOOGLE ANALÍTICO